sexta-feira, 10 de outubro de 2014

SES realizará mutirão de cirurgias de hérnia no Hospital Estadual Carlos Macieira neste sábado (11)

O Hospital Estadual de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira realiza neste sábado (11), a partir das 8h, um mutirão cirúrgico de hérnia. A iniciativa visa reduzir o tempo de espera dos pacientes já cadastrados pela rede estadual de saúde para submeter-se a esse tipo de procedimento.
Será o segundo mutirão de intervenções cirúrgicas realizado pela equipe médica do Hospital de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira, desde a inauguração do seu centro cirúrgico, que conta com sete salas de cirurgia em pleno funcionamento. O primeiro mutirão ocorreu no mês passado, quando 16 pacientes foram submetidos a uma técnica cirúrgica inovadora para tratamento de varizes em membros inferiores.
De acordo com o médico Luis Alfredo Guterrez, coordenador da equipe de cirurgiões que atuará no mutirão, nessa nova etapa serão beneficiados 20 pacientes que sofrem com dores abdominais causadas por hérnias inguinais, epigástricas e umbilicais (este é o tipo mais comum entre as três formas) e têm uma série de limitações para desenvolverem atividades rotineiras.
"Esses mutirões, além de ser uma forma de restabelecer a saúde do paciente e normalidade das ações diárias, são uma forma de diminuir o tempo de espera dos pacientes que não têm condições financeiras para buscar atendimento na rede suplementar e aguardam por este tipo de procedimento na rede pública de saúde há algum tempo, devido à grande demanda por este tipo de serviço", explica Luis Alfredo .
Para estarem aptos a passar pelo procedimento, todos os pacientes já diagnosticados com casos de hérnia tiveram que realizar exames pré-operatórios necessários para avaliar o risco e comprovar as perfeitas condições para que eles sejam levados ao centro cirúrgico.

Mutirões
Os mutirões cirúrgicos tornaram-se uma alternativa para reduzir o tempo de espera de pacientes, tanto da capital quanto do interior, que receberam indicações cirúrgicas para os mais diversos casos. Já foram realizados pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES), mutirões para tratamento cirúrgico da próstata, mama, varizes, hérnias e de catarata.
As cirurgias são realizadas por uma equipe multidisciplinar nas dependências de hospitais gerais que compõe a Rede de Serviços de Saúde do Estado. Os mutirões de hérnia já foram realizados em São Luis (Hospital do Câncer Tarquínio Lopes filho e Carlos Macieira), Hospital Macrorregional de Coroatá, Hospital Geral de Alto Alegre do Maranhão, Hospital de Geral de Barreirinhas.

Sejap promove Roda de Terapia Comunitária com as internas do Presídio Feminino

A Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária (Sejap) promoveu, na manhã desta sexta-feira (10), uma Roda de Terapia Comunitária destinada às internas do Presídio Feminino no Complexo de Pedrinhas em São Luis. A ação, que consiste no compartilhamento de experiências, é resultado de parceria com a Secretaria de Estado da Mulher (Semu).
O evento teve aproximadamente 40 internas participando das atividades de acolhimento e partilha, fomentando as ações de humanização na unidade. A terapeuta comunitária, Ana Luiza Cunha, contou que a proposta é motivar as detentas à reintegração social.  “O momento é agregador. Nossa proposta é trabalhar a conscientização das internas para o amor, a motivação e a reinserção social de cada uma”, disse.
Os trabalhos tiveram como tema a liberdade, conflitos familiares e relacionamentos conjugais. De forma reflexiva, algumas internas expuseram situações de suas vidas durante a roda. A interna Ana Catarina Neres, 33 anos, definiu a inciativa como sendo extremamente importante para trabalhar a cura interior. “O momento é bom para que a gente possa desabafar aquilo que está guardado em nosso coração”, pontuou.
A também terapeuta comunitária, Deusanir Santos, falou da importância da iniciativa. Segundo ela, a ação tem justamente a finalidade de amenizar algumas faltas, a fim de fazer com que as pessoas se sintam mais fortes para enfrentar os desafios e as dificuldades da vida. “A proposta é fazer com que essas internas possam tirar as dores da alma. O desabafo é uma ótima forma de tratamento. E é assim que a terapia comunitária atua”explicou.
Como funciona
Em uma roda de terapia comunitária, qualquer um que sentir vontade de falar, relatar algo ou um fato, compartilha com o grupo. A partir daí, as outras pessoas podem perguntar para compreender melhor o caso e compartilhar experiências. Após esse momento acontece a troca de relatos, situação aonde cada um vai tirando o que é proveitoso para sua experiência individual.
Nesse contexto, os terapeutas comunitários atuam como mediadores, procurando estimular a partilha de experiências de vida que promovam uma transformação e, ainda, valorizem o conhecimento produzido por cada integrante do momento.
Outras ações
Dentro da programação de ações da Sejap, além da roda de terapia comunitária com as detentas, ainda ocorrerão palestras destinadas à qualificação dos servidores. Na quinta-feira (16), na Escola de Gestão Penitenciária (Egepen), acontecerá palestra com o tema “Relação Interpessoal e Mediação de Conflitos”.
Já na quinta (23), será ministrada uma palestra sobre entusiasmo, motivação e sucesso tendo como público alvo os servidores, técnicos e colaboradores do sistema.      

Anemia falciforme é tema de seminário para profissionais da saúde

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Atenção Primária em Saúde e em parceria com Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (HEMOMAR), realizou nesta sexta-feira (10) um seminário sobre doenças hematológicas. Das discussões com foco na anemia falciforme participaram técnicos da secretaria, equipes da estratégia de saúde da família (médicos, enfermeiros, odontólogos e fisioterapeutas) de São Luís e outros municípios do interior do estado.
O Seminário Estadual de Doenças Hematológicas reuniu profissionais de saúde da capital e dos municípios de São José de Ribamar, Paço do Luminar, Zé Doca, Apicum-açu, Axixá, São Bento, Nina Rodrigues, Viana e Alcântara, estas duas últimas com especial atenção devido à presença de áreas quilombolas.
"O seminário parte de um programa federal denominado "Brasil Quilombola" (PBQ) que reúne ações do Governo Federal para as comunidades remanescentes de quilombos com maior predisposição e prevalência para a doença que se estende a outras populações", explica a coordenadora do evento Delcy da Cruz Maia.  Ela enfatiza que o objetivo é dar mais visibilidade à questão da anemia falciforme no Maranhão, incrementar a formação dos profissionais que dão assistência a esses pacientes, e despertar para a importância de condutas que valorizem o diagnóstico precoce e desmistifiquem a doença.
"Entre as atitudes que queremos incentivar junto aos profissionais está a questão de solicitar o teste do pezinho no recém-nascido de modo a diagnosticar a doença com este exame que é realizado gratuitamente pelo SUS, tanto nas unidades básicas quanto pelas maternidades", diz ela.
Anemia falciforme - É uma doença hereditária caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue, tornando-os parecidos com uma foice, e com membranas menos fortalecidas que se rompem mais facilmente causando estágio de anemia no paciente. A hemoglobina, que transporta o oxigênio e dá a cor aos glóbulos vermelhos, é essencial para a saúde de todos os órgãos do corpo.
Essa condição é mais comum em indivíduos da raça negra, no entanto devido à intensa miscigenação historicamente ocorrida no país, pode ser observada também em pessoas de raça branca ou parda. A doença pode se manifestar de forma diferente em cada indivíduo com a presença de sintomas leves ou outros sinais de complicação. Os sintomas geralmente aparecem na segunda metade do primeiro ano de vida da criança.
Entre os sintomas mais notados está a icterícia (cor amarela nos olhos e pele), além de crises de dores freqüente nos ossos e nas articulações podendo atingir qualquer outra parte do corpo, e ulcerações (feridas) nas pernas próximo aos tornozelos. Como maiores complicações a doença pode facilitar infecções oportunistas a exemplo da pneumonia e meningite, além do inchaço do baço que eleva o risco de vida e exige tratamento emergencial.

PMMA promove 1º liga de esportes na corporação

                                                                                                                                            Foto: J.Roberto

Visando promover a integração e o lazer da corporação da Polícia Militar, a coordenação de Esporte e Lazer da instituição está promovendo a 1ª Liga de Desenvolvimento Militar. O evento teve início no dia 22 de setembro e segue até o dia 22 de Dezembro. 

Mais de 900 policiais, entre praças e oficiais, de todos os Batalhões da Região Metropolitana de São Luís e da 7ª Companhia Independente de Rosário estão participando do campeonato. Cada participante pagou uma taxa no valor de R$ 10, que vai compor a premiação em dinheiro aos vencedores de cada modalidade.

O projeto Liga de Desenvolvimento Militar da PMMA é peculiar, uma vez que dá a oportunidade da prática das atividades de lazer a todos os policiais militares, independentemente da faixa etária.

Dentre as modalidades desenvolvidas em grupo estão: futebol de campo, society, futsal masculino e feminino, basquete feminino e masculino. A partir de Novembro vão ser iniciadas as atividades individuais de Corrida de 5 e 10 km; Biathlon (corrida e natação) e Tiro Esportivo.

O evento tem parceria com a Federação Maranhense de Basquete e de Futebol; Secretaria Municipal e Estadual de Esporte e Lazer e a empresa Marcopol. As competições acontecem nos três turnos, no Complexo Esportivo da Polícia Militar, localizado no Comando Geral da PMMA, no Calhau.

De acordo com o coordenador de Esporte e Lazer, capitão Márcio Kemps de Oliveira Costa, o objetivo é integrar, fortalecer e incentivar a prática desportiva na Polícia Militar do Maranhão, com o escopo de fomentar o bem estar físico e mental, mantendo sobre tudo o profissionalismo e a autoestima.

 “A Polícia Militar do Maranhão vem massificando suas ações nas áreas de esporte e lazer. As práticas desportivas se tornam cada vez mais importantes nas vidas das pessoas não apenas na conquista do bem-estar e saúde, mas também na socialização do indivíduo”, ressaltou o capitão.

No encerramento das competições, as equipes vencedoras vão receber troféus, medalhas e premiação em dinheiro.

Batalhão de Choque realiza prisão em São Luís

Policiais do Batalhão de Choque prenderam na noite da quinta-feira (9), uma pessoa envolvida em uma tentativa de assalto na região metropolitana de São Luis.
Em policiamento rotineiro nas imediações do centro da cidade, o Esquadrão Águia prendeu em flagrante Jean Rodrigues Pereira, 23 anos, após tentar roubar uma motocicleta de um rapaz, cuja identidade não foi revelada, no canto da fabril. Com o suspeito, a polícia apreendeu um revólver calibre 38 e cinco munições intactas.  Jean foi conduzido para o Plantão da Reffesa, onde foi autuado pelo crime de tentativa de assalto e porte ilegal de arma.
Já no bairro do Cohatrac, uma guarnição do choque, em abordagem a um grupo de três homens que pilotavam motocicletas em alta velocidade na avenida principal daquele bairro, os policiais foram notificados que quatro elementos haviam tentado roubar a motocicleta de um dos rapazes.
A polícia empreendeu em diligência pela região, vindo a localizar os suspeitos, que dispararam vários tiros contra a viatura. Durante o confronto, um adolescente de 16 anos foi alvejado e encaminhado para o Hospital Clementino Moura (Socorrão II), mas, não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã desta sexta-feira (10).  

SPCC destaca tranquilidade durante o período eleitoral em São Luís e no interior

Superintendente de Polícia Civil da Capital 
Delegado Leonardo Nascimento Diniz
A Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), coordenada pelo delegado Leonardo Nascimento Diniz, fez um balanço positivo das eleições no estado, que ocorreram e forma tranquila e sem ocorrências de maiores relevância.
Segundo Leonardo Diniz, o policiamento no interior do estado foi reforçado com a presença de 150 policiais civis lotados na capital, garantindo, assim, a manutenção da ordem pública e a tranquilidade da população, nos municípios. “Fizemos um trabalho estratégico e algumas reuniões periódicas com todos os policiais civis no intuito de fortalecer os trabalhos nos municípios”, frisou.
O superintendente disse, ainda, que na capital, os plantões do Cohatrac, Cidade Operária, Vila Embratel e Beira Mar, foram reforçados com um número significativo de policiais. O Plantão Especial do Maiobão funcionou no fim de semana em caráter eleitoral para dar tranquilidade à sociedade e facilitar os registros de ocorrências nos locais mais distantes.
De acordo Leonardo Diniz, foram lavrados Termos Circunstanciais de Ocorrências (TCO), além da ocorrência de atuações em flagrantes. Já os crimes eleitorais foram encaminhados para o Departamento da Polícia Federal.
“O único fato mais relevante registrado foi o caso da Cidade Olímpica, no Colégio Unidade Escolar Básica Cecília Meirelles, mas a Polícia Militar agiu de imediato com a prisão dos suspeitos. Todas as forças policiais estiveram unidas para efetuar um bom trabalho no período eleitoral. Todos os policiais estão de parabéns”, pontuou, ao destacar a integração das polícias no combate à criminalidade.
SPCC
A superintendência reúne 20 delegacias distritais, distribuídas em diversos bairros; 23 delegacias especializadas de combate a crimes específicos e de maior repercussão, além de possuir um trabalho conjunto com todas as supervisões de Áreas Integradas de Segurança Pública.
Também integram a SPCC, a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), as Delegacias de Homicídios, de Roubos e Furtos, e de Roubos e Furtos Veículos, que atuam também em um trabalho mais específico.