PREFEITURA DE SÃO LUÍS

terça-feira, 27 de maio de 2014

Novo comandante do Batalhão de Choque fala dos projetos à frente do Batalhã


Qualificação profissional para um desempenho mais eficiente e eficaz nas operações. Essa é uma das principais metas do novo comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, major Francisco Wellington Silva Araújo.  A proposta do major Wellington é dar continuidade ao trabalho do seu antecessor e melhorar as operações deflagradas pelo batalhão, dando ênfase ao aperfeiçoamento da tropa.


“O Batalhão de Choque é uma unidade especializada que atua no controle de distúrbios civis e nos casos de maior complexidade, onde todos os níveis de negociação foram esgotados. Para isso, os policiais tem que ser altamente preparados para agir da forma mais técnica possível. O Choque também atua no policiamento preventivo, dando apoio aos Batalhões da Região Metropolitana de São Luís”, destacou o novo comandante.


O major Wellington frisou a importância da multiplicação do conhecimento e da requalificação. “Três oficiais e um praça participaram de treinamento na Bahia e Rio Grande do Norte. Eles conheceram novas técnicas de atuação do Batalhão de Choque e novas armas para auxiliar nas ações. Eles vão repassar o que aprenderam no treinamento”. 


O Batalhão de Choque é composto por trezentos policiais, oito viaturas e dez motocicletas, distribuídos na Companhia de Choque, que atua no controle de distúrbios civis; Força Tática, que reforça o patrulhamento motorizado na cidade; e Companhia de Operações Especiais, considerada a equipe de elite do Batalhão de Choque, que atua nas operações mais delicadas. O batalhão também possui um Serviço de Inteligência.


Uma equipe composta por 29 oficiais reforça o policiamento no Centro de Detenção Provisória, Presídio São Luís I e II, Presídio de Pedrinhas e Central de Custódia de Presos de Justiça de Pedrinhas e do Anil.


“O BC é uma tropa de alta confiança do comandante, solicitado para situações pontuais e de perigo. Ele é acionado para resgatar a ordem pública e fazer o que a lei determina”, pontuou major Wellington.


Ele destacou a importância da interação da população com o BC no planejamento de operações com base nos pontos mais críticos apontados pelos moradores.

Operações

Atualmente, o Batalhão de Choque deflagra três operações na Região Metropolitana: Tornado, realizada semanalmente em cada batalhão de área, com seis viaturas e quatro motocicletas; Águia, ordenada pelo comandante geral da Polícia Militar, Zanoni Porto e coordenada pela Companhia de Policiamento Especializado, onde a PM atua em conjunto em pontos pré-definidos, com o Batalhão de Choque, realizando incursões e abordagens e o Esquadrão Águia, que realiza operações todo dia, com dez motocicletas.


“Todas as operações são baseadas em dados estatísticos levantados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) e com informações dos comandantes dos batalhões de área, que apontam os locais e os horários com maior incidência criminal”, destacou o novo comandante.


Desde a posse do major Wellington no comando do Batalhão de Choque, dia 9 de maio, foram realizadas quarenta e quatro conduções; oito flagrantes; dez apreensões de armas, sendo seis de fogo e quatro brancas e cento e dezesseis porções de droga apreendidas, sendo 2 de maconha e as demais de crack.


Projetos
O major Wellington destacou a necessidade de reequipar o batalhão para ficar em pé de igualdade com os demais grupos. Esta semana foi enviado relatório ao comandante geral da Polícia Militar, Aldimar Zanoni Porto, solicitando Equipamentos de Proteção Individual (EPI).


O comandante do Batalhão de Choque destacou a pretensão da elaboração do Manual de Operações de Choque, para padronizar as ações e coordenar os trabalhos dos oficiais. “O quanto antes, queremos apresentar esse projeto, para que seja apreciado pelo Estado Maior da Polícia Militar, composto pelo colegiado dos coronéis”, declarou major Wellington. 


Perfil do novo comandante

Francisco Wellington Silva Araújo, de 40 anos, é casado, pai de três filhos, e ingressou na PM em 1993, por meio do Curso de Formação de Oficiais (CFO), da Universidade Estadual do Maranhão.



Atuou no 1º BPM; Comando de Policiamento Metropolitano de São Luís; 3º BPM, em Imperatriz; Batalhão de Trânsito; Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS); e no 8º BPM, onde coordenou a Patrulha do Bairro. “É meu maior desafio e uma grande honra assumir o Batalhão de Choque da Polícia Militar”, concluiu.

Secretário Sebastião Uchoa assina convênio para instalação da Apac em Timon


O secretário de Estado de Justiça e de Administração Penitenciária, Sebastião Uchoa, assinou em seu gabinete, na manhã desta segunda-feira (26), o convênio de implantação da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), no município de Timon. As ações serão direcionadas aos internos da Unidade Prisional de Ressocialização Jorge Viera, situado naquele município.  No Maranhão, unidades de Coroatá, Pedreiras e São Luís já realizam o trabalho com o método.

A partir do convênio, caberá a Apac atuar na unidade mantendo assistência à saúde, odontológica e serviço social, além de ofertar cursos de capacitação profissional para 310 presos do Sistema e gerenciar e fiscalizar, em parceria com o Poder Judiciário, 40 internos do trabalho externo prestando ainda assistência aos familiares. Atualmente, 10 recuperando trabalham na empresa de limpeza pública que presta serviços para a Prefeitura Municipal. A iniciativa é uma das medidas voltadas para a reinserção social dos internos.

Com o convênio, a Apac de Timon recebe a quantia de R$ 350 mil que serão entregues em duas parcelas e deverão ser empregados, exclusivamente, para atender as demandas da Apac e custear os gastos com o trabalho desenvolvido pela associação.

O secretário Sebastião Uchoa ressaltou a importância da institucionalização da Apac em mais uma cidade. “É um grande avanço para o Governo do Estado. Uma promessa que tem como meta fomentar esse projeto em todas as unidades. Ainda neste primeiro semestre, serão firmados, pelo menos, mais dois convênios, em Viana e Imperatriz. O próximo passo da nossa equipe técnica é fazer a observação e analise para implementação das políticas do método Apac na humanização do Sistema Carcerário”, declarou o secretário de Justiça e de Administração Penitenciária.

Com o convênio caberá a Secretaria de Estado de Justiça e de Administração Penitenciária (Sejap) repassar a Apac os recursos financeiros e o Plano de Trabalho, bem como acompanhar e supervisionar a execução do plano.

          Durante a assinatura, o presidente da Apac de Timon, José Augusto Rego, lembrou que os internos para ingressar no método Apac, passam por uma rigorosa seleção. “Além do interesse espontâneo em ingressar na entidade, nós levamos em consideração um parecer técnico emitido por psicólogos, assistentes sociais e da direção da unidade. Trata-se de um método com resultados bastante satisfatórios e em que a reincidência criminal é quase zero”.

          Além do convênio firmado com a Sejap, a Apac de Timon, em uma parceria com a prefeitura municipal de Timon, recebeu um terreno com área total de 15.840 m2 para a construção de um Centro de Reintegração Social onde funcionará a sede da Apac do município. Nesta quarta-feira (28), ocorrerá a assinatura do convênio para implantação da Apac em Viana.

           Método Apac
           A Apac é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Opera como entidade auxiliar na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade nos regimes fechado, semiaberto e aberto.

Tem uma disciplina rígida, caracterizada pelo respeito, ordem, trabalho e o envolvimento da família do sentenciado. Todos têm trabalho e educação, aproximação com a família e com a sociedade, e estímulo à valorização da autoestima.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Polícia inicia investigação latrocínio no Angelim

A Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio da Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC), informa que já foram iniciadas as investigações para apurar a morte de Joílson Reis dos Passos, de 29 anos, ocorrida por volta das 22h30, de domingo (25), na rua da Paz, bairro Novo Angelim.

As investigações estão sendo coordenadas pelo 14º Distrito Policial, no bairro Bequimão. A princípio, a polícia trabalha com a linha de investigação de latrocínio, pois levaram a mochila da vítima. Três homens em um veículo Corsa Classic, de cor prata, de placas ainda não identificadas, teriam participado da ação.

De acordo com o comando do 8º BPM, três motocicletas e uma viatura realizam rondas diariamente na área. A SSP disponibiliza também o número do Centro Integrado de Operações Policiais (190) para registro de ocorrências.

Polícia investiga homicídio em Açailândia

A 9ª Delegacia Regional investiga um homicídio ocorrido na madrugada do último sábado (24), no município de Açailândia. De acordo com informações repassadas pelo delegado plantonista José Luís Lima Furtado, a vítima não possuía nenhuma documentação pessoal e ainda não foi identificada. Há suspeitas de que ela seja morador de rua.

Ainda de acordo com informações policiais, a vítima foi executada com três golpes de arma branca no abdômen. Ainda não há suspeitos e a motivação do crime é desconhecida.  

O corpo foi encontrado por populares, na Rua Bonaire, Bairro Centro, por volta das 3h da madrugada. O caso está sendo investigado pelo 1º Distrito Policial de Açailândia.

O corpo da vítima, um homem, está no Instituto Médico Legal de Imperatriz, aguardando reconhecimento.

Homem é preso por tentativa de homicídio em Monção

Policiais militares lotados no 7º BPM prenderam, na madrugada do sábado (24), Valdemar Maia, de 23 anos, na cidade de Monção. Ele tentou contra a vida da esposa, Maria Domingas Mendes Lindoso, de 23 anos, e da sogra, Doracir Mendes, de 43 anos.

De acordo com informações do delegado plantonista Marconi Matos, o acusado chegou em sua casa embriagado e houve uma discussão entre ele e a esposa, grávida de oito meses. Na ação, ele golpeou a companheira. A sogra tentou intervir e acabou ferida também.

Valdemar empreendeu fuga, mas foi preso pela madrugada por policiais militares em um matagal próximo à residência dele, na Rua 2, Vila Paulinha.

O autor do delito foi encaminhado à 7ª Delegacia Regional, onde foi autuado em flagrante pelos crimes de tentativa de homicídio, lesão corporal e tentativa de aborto.

Maria Domingas Mendes Lindoso foi transferida para um hospital de São Luís, devido à gravidade dos ferimentos. A mãe dela está internada no Hospital de Monção.

Homem é preso por tentativa de homicídio em Monção

Policiais militares lotados no 7º BPM prenderam, na madrugada do sábado (24), Valdemar Maia, de 23 anos, na cidade de Monção. Ele tentou contra a vida da esposa, Maria Domingas Mendes Lindoso, de 23 anos, e da sogra, Doracir Mendes, de 43 anos.

De acordo com informações do delegado plantonista Marconi Matos, o acusado chegou em sua casa embriagado e houve uma discussão entre ele e a esposa, grávida de oito meses. Na ação, ele golpeou a companheira. A sogra tentou intervir e acabou ferida também.

Valdemar empreendeu fuga, mas foi preso pela madrugada por policiais militares em um matagal próximo à residência dele, na Rua 2, Vila Paulinha.

O autor do delito foi encaminhado à 7ª Delegacia Regional, onde foi autuado em flagrante pelos crimes de tentativa de homicídio, lesão corporal e tentativa de aborto.

Maria Domingas Mendes Lindoso foi transferida para um hospital de São Luís, devido à gravidade dos ferimentos. A mãe dela está internada no Hospital de Monção.