terça-feira, 9 de outubro de 2012

Dez ocorrências de crimes eleitorais são registradas na região metropolitana de SL


Dez ocorrências de crimes eleitorais foram registradas na região metropolitana de São Luís, no dia das eleições – domingo (7). De acordo com o superintendente da Polícia Civil da Capital, delegado Sebastião Uchoa, a maioria dos casos foi crime de boca de urna e não houve ocorrência de grande relevância.
Somente na Grande Ilha, a Polícia Civil atuou com o efetivo de 110 homens, incluindo delegados, investigadores e escrivães. Funcionaram quatro plantões em São Luís (Cidade Operária, Vila Embratel, Beira-Mar e Cohatrac), e as delegacias especiais do Maiobão, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa, para combater crimes eleitorais e fiscalizar o cumprimento da portaria 926/2012, instituída pelo secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, que disciplinava a venda e consumo de bebidas alcoólicas no período eleitoral.

Delegado Sebastião Uchoa considerou tranquilas as eleições em São Luís
Em São José de Ribamar, duas pessoas foram conduzidas para a delegacia, uma pelo crime de transporte ilegal de eleitores e outra por boca de urna. Na sede da Raposa, não houve registro de ocorrência, mas na periferia uma pessoa foi detida pelo crime de boca de urna e conduzida à delegacia. No Maiobão, foram registrados dois casos, todos por boca de urna.
Na Beira-Mar, centro de São Luís, uma pessoa foi presa em flagrante por vender bebida alcoólica e três foram detidas pelo crime de boca de urna. Na Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop), os investigadores apreenderam bebida que estava sendo comercializada no dia da eleição e uma pessoa foi detida. Na Delegacia de Paço do Lumiar, não houve registro de ocorrência de crime eleitoral. “Em linhas gerais, a eleição foi muito positiva na capital. Não tivemos registro de ocorrência de grande relevância de crimes eleitorais”, destacou o superintendente da SPCC, delegado Sebastião Uchoa.
Mais de duas mil pessoas – Em todo o Brasil, 2.178 pessoas foram presas por crime eleitoral, segundo balanço do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O tribunal registrou 4.812 ocorrências de crime eleitoral em todo o país, mas nem todas levaram à detenção dos envolvidos.
Dos 2.178 detidos, 1.703 eram eleitores e 475, candidatos. Segundo o TSE, a maioria das prisões foi por causa de boca de urna e divulgação de propaganda eleitoral. Também houve registro de pessoas detidas por uso de alto-falantes, transporte ilegal de eleitores, corrupção eleitoral e fornecimento ilegal de alimentos a eleitores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.