terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Maranhense era perseguido no Flamengo, diz Zico

Segundo Zico, o jovem jogador sofria preconceito por ter sido indicado por ele.

Rafinha é um dos destaques do Flamengo em 2013. 

RIO DE JANEIRO - Conselheiro e principal porta-voz da diretoria de Eduardo Bandeira de Mello, Zico criticou a postura do grupo comandado por Patrícia Amorim em relação ao meia maranhense Rafinha, uma das principais revelações do Flamengo neste início de temporada.
 
 
Segundo o maior ídolo rubro-negro, desafeto da última presidente, o clube correu sério risco de perder porque o jovem sofria preconceito por ter sido indicado por ele.
 

“O garoto, se continuasse a outra diretoria, ia sair do Flamengo. E tinha gente que criticava porque dizia que ele era ‘jogador do Zico’. Eu fico chateado porque tinha muitos garotos que estavam sendo prejudicados porque eu tinha levado para o Flamengo”, comentou, em entrevista ao Arena SporTV.
 

Zico, que viu Rafinha surgir na base do CFZ, clube de sua propriedade, não poupou elogios ao jogador, que jogou todas as partidas do Flamengo no carioca e marcou dois gols, além de decidir o clássico contra o Vasco.
 

“Com 10 anos, eu o vi fazer coisas que nunca tinha visto. Foi o único que indiquei para ser levado para o Milan, aos 17 anos”, lembrou.
 

O ex-craque do Flamengo e da Seleção Brasileira ainda se disse chateado com a repercussão negativa sobre a parceria entre o CFZ e o time da Gávea. “Nunca me ouviram. Têm meu telefone, mas não ligaram para saber o que estava acontecendo”, disparou.
 

Nas últimas eleições presidenciais do clube, Zico vestiu a camisa da chapa azul, encabeçada por Bandeira de Mello e que promete a moderinização do Fla, fazendo campanha de oposição a Amorim. Hoje, o ex-meia tem função de consultor da diretoria.

Gazeta Esportiva
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.