sexta-feira, 12 de abril de 2013

Curso de segurança nos EUA capacita magistrados e servidores do TJMA 12


 
Magistrados e servidores do Tribunal de Justiça do Maranhão, que participaram da primeira turma do curso de segurança, no Condado de Lake, na Flórida, Estados Unidos, se reuniram com o presidente da Corte estadual, Antonio Guerreiro Júnior, na quinta-feira (11), para expor as experiências e conhecimentos adquiridos durante o treinamento realizado entre os dias 31 de março e 5 de abril. O segundo grupo de magistrados viajou aos Estados Unidos no dia 6 de abril e retorna a São Luís neste final de semana.
Foram selecionados para o curso 40 magistrados, entre desembargadores e juízes criminais, inclusive aqueles que já sofreram algum tipo de ameaça.
O curso - com instruções na língua inglesa, com tradução simultânea - foi ministrado por policiais da ativa da SWAT, unidade de polícia altamente especializada, formada por policiais equipados e treinados para reduzir risco associado a uma situação de emergência.
De acordo com o coordenador do curso, juiz Paulo de Assis Ribeiro, a formação foi sugerida pelo presidente do TJMA, desembargador Guerreiro Júnior, que conheceu detalhes sobre o treinamento em 2012, no Rio, durante Encontro de Presidentes de Tribunais de Justiça. O TJRJ é o idealizador do procedimento e maior referência nacional, hoje, em segurança de magistrados.
"Nós estamos na vanguarda. Somos o primeiro Estado do Nordeste a fazer esse tipo de treinamento. O Presidente foi ousado nessa empreitada, fazendo esse investimento na área de segurança institucional", diz o diretor de Segurança Institucional do TJMA, capitão Alexandre Magno.
Para o desembargador Raimundo Barros, o curso foi uma experiência única que criou uma nova mentalidade sobre a segurança no Judiciário. "Fomos a uma instituição de alto nível em segurança judicial. Ficamos praticamente uma semana vendo todos os pontos básicos sobre segurança, com aulas teóricas, aulas com equipamentos virtuais e práticas. Foi exaustivo, mas superou as nossas expectativas", avalia o magistrado.
A juíza auxiliar da Corregedoria, Márcia Coelho Chaves, ressalta que a importância do curso para os magistrados. "Nós tivemos a oportunidade de vivenciar experiências que jamais poderíamos experimentá-las aqui. Foi um curso único, grandioso. Cada magistrado voltou com uma mentalidade diferente, não só a título de segurança pessoal, mas institucional", afirma.
Para o juiz Mário Márcio de Almeida Sousa, titular da 1ª Vara de Viana, o curso contribuiu para uma nova conscientização sobre a segurança de magistrados.
"Nós temos que ver com outros olhos as nossas próprias condutas como magistrados e cidadãos. Quando estamos na rua, fora do trabalho, não deixamos de ser juízes e precisamos manter a preocupação com a segurança", alerta o juiz, acrescentando que "uma agressão não acontece somente no ambiente de trabalho, mas também quando o magistrado estiver disperso, colocando em risco, inclusive, seus familiares".
Artur Gustavo Azevedo de Nascimento, titular de Barreirinhas, egresso do último concurso (2009), ressalta que os Estados Unidos é um país referência em termos de segurança no mundo, o que demonstra a importância de um treinamento promovido naquele país.
"A magistratura é considerada nos EUA uma profissão de alto risco. Por conta disso, os juízes têm todo um aparato de segurança, seja em treinamentos ou na própria estrutura do Tribunal, para que possam exercer a atividade com independência", explica. 
Na ocasião, os magistrados entregaram ao desembargador Guerreiro Júnior um kit contendo o uniforme do curso, equipamentos pessoais de segurança, grade curricular, apostila do curso e documentos com as diretrizes do treinamento.
Fonte: Ascom /TJMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.