quinta-feira, 4 de abril de 2013

Maranhão terá sete novos presídios



 
Secretário Sebastião Uchoa tem como objetivo descentralizar a administração penitenciária, promovendo suas regionalização

Muitas mudanças estão sendo implantadas no Sistema Penitenciário do Estado, desde a nomeação do delegado da Polícia Civil, Sebastião Albuquerque Uchoa Neto, na titularidade da Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária.

Toda estrutura administrativa da Sejap, sofrerá mudanças visando o melhor desempenho de todos os organismos que compõem o sistema. O atual titular da pasta ainda revelou que mais sete unidades prisionais serão construídas no Maranhão.

Sebastião Uchoa revelou que são seis no interior do estado e um de segurança máxima na capital.

 Ele anunciou também que, objetivando descentralizar a administração penitenciária, promovendo sua regionalização, a Sejap já assumiu as carceragens das Delegacias Regionais da Polícia Judiciária em Codó, Davinópolis, Açailândia, Santa Inês e Bacabal, que passaram a funcionar como unidades prisionais da Sejap.

Considerando a necessidade de transformar a metodologia de atendimento aos servidores penitenciários e internos, o secretário está implantando cinco novos organismos no Sistema Penitenciário: Núcleo de Assistência Biopsicossocial aos servidores penitenciários – NASB; Núcleo de Apoio às Assistências Religiosas – NAR; Núcleo de Monitoramento aos Egressos em Geral – NUMEG; Núcleo de Inteligência Penitenciária- NINPEN e Núcleo de Coordenação e Monitoramento dos Efetivos Plantonistas da Capital – NUCOMPLAN. Será também implantada a Ouvidoria do Sistema Penitenciário e a Superintendência de Assuntos Penitenciários no Interior.

Estes organismos terão funções específicas e funcionarão com o propósito de dar melhores condições de trabalho, assistindo aos funcionários e internos, coibir práticas criminosas no interior das unidades prisionais, assistência também aos egressos, que serão monitorados e encaminhados para que tenham condições de emprego e renda, evitando a reincidência aos crimes. Para isto, será também promovida a profissionalização dos presos de todo o estado, através da educação convencional e profissionalizante.

Até o fim deste ano, pelo menos três novos presídios serão construídos. Na capital, já está sendo promovida uma triagem mais criteriosa dos detentos que serão direcionados para unidades prisionais distintas conforme a etiologia do crime praticado, isto significa que os autores de homicídios serão encaminhados para um local e os autores de crimes contra o patrimônio, para outro. “Com isso, evitaremos que os detentos sejam induzidos à prática de crimes de maior potencial ofensivo, por elementos de reconhecida periculosidade”, garantiu Sebastião Uchoa.

Fonte: Imparcial online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.