quinta-feira, 25 de julho de 2013

Pesquisadores discutem a geração de energia elétrica por marés do Rio Bacanga

Com a presença de pesquisadores de importantes instituições de pesquisas nacionais e do Banco Mundial, as secretarias de Estado de Minas e Energia (Seme) e a de Ciência Tecnologia e Ensino Superior (Sectec) promovem, nesta sexta-feira (26), 8h30 até 18h, no Hotel Grand São Luís, o workshop “Exploração das energias do Mar - usina piloto do estuário do Bacanga”.

O principal objetivo é obter uma solução técnica para o aproveitamento da Barragem do Bacanga para a geração de eletricidade usando a diferença de mares. “Esta seria a primeira usina deste tipo na América Latina, convertendo-se em referência como unidade piloto de energias renováveis usando a força das marés”, explicou o secretário de Estado Minas e Energia, Ricardo Guterres.

A reunião, de caráter científico, terá a presença de profissionais e estudantes da área de engenharia e agentes governamentais. Tem o patrocínio da empresa Progen, contratada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) para realizar o Projeto Executivo de Recuperação da Barragem do Bacanga. 

Recebe apoio da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), entre outras instituições e empresas.

Agentes do setor público e privado vão discutir a Bacia do Bacanga, localizada na Ilha de São Luís do Maranhão, e seu potencial energético. A meta é elaborar, de forma harmoniosa, proposta de exploração da energia maremotriz disponível na Barragem, considerando as múltiplas utilidades do Lago do Bacanga e as questões ambientais.

O pesquisador e subsecretário da Seme, Francisco Peres Soares explicou que a geração de energia por meio da amplitude de marés corresponde à única forma de extração da energia oceânica que já apresenta tecnologias suficientemente maduras para a sua utilização em escala comercial.

“No Brasil, as maiores amplitudes de marés se encontram na costa norte. Por exemplo, apenas no litoral do estado do Maranhão, estimou-se uma capacidade de geração de energia na ordem de 22.000 GWh ao ano. 

Incluído neste contexto, o estuário do Bacanga, em São Luís, representa um caso bastante particular para a exploração da energia maremotriz. Sabe-se, pelos achados arqueológicos do prédio onde funciona atualmente  o Estaleiro Escola, que ainda no século XIX  utilizava-se a força das mares para produzir energia motriz  ”, ressaltou Francisco Soares.

Durante o workshop serão apresentadas técnicas de exploração das energias do mar, com foco no projeto da usina piloto do Bacanga e será  apresentado um resumo das políticas governamentais de incentivo às energias do mar, legislação e mecanismos de financiamento.

Entre os pesquisadores presentes, Anselmo Ilkiu (ALSTOM – Brasil), Marcio Vaz dos Santos (LABOHIDRO – UFMA), Jorge Paglioli Jobim (Diretor do Departamento de Desenvolvimento Energético – MME), Neil A. S. Barbosa (Coordenador - PROGEN Projetos e Engenharia Ltda.), Lucas Xavier Ribeiro– Superintendência de Regulação dos Serviços de Geração da ANEEL),Geraldo Lúcio Tiago Filho (Professor Titular da Universidade federal de Itajubá), entre outros.


Programação
Atividade
Horário

Abertura


8h30 – 8h45

Projeto da Usina Piloto do Bacanga: histórico e a proposta atual - Osvaldo R. Saavedra – SECTEC/UFMA


8h45 – 9h15

Projeto de turbina de baixa queda
Geraldo Lúcio Tiago Filho – UNIFEI


9h15 – 9h45

Caracterização de uma solução energética para o Projeto Bacanga - Everton Torquato da Silva– ALSTOM


9h45 – 10h15
Coffee – Break
20minutos

Projeto de recuperação da barragem do Bacanga
Neil A. S. Barbosa – PROGEN


10h35 – 11h5

Impactos Socioambientais
Prof. Dr. Marcio Vaz – UFMA


11h5 – 11h35

Mesa Redonda:  Aspectos Tecnológicos e Ambientais da Implantação da Exploração da Energia do Mar: A Usina do Bacanga.


11h35 – 12h15
Almoço
12h15 – 14h

Incorporação de novas fontes energéticas – Jorge Jobim - MME


14h – 14h30

Políticas de C&T para energias do mar – Jairo Coura - MCTI


14h30 – 15h

Desafios da regulação para energias do mar
 Rui Guilherme Altieri Silva -  ANEEL


15h – 15h30
Coffee  - break
20 minutos

Políticas de financiamento  - Banco Mundial


15h50 – 17h20

Mesa Redonda : Regulação, Políticas de Financiamento e Oportunidades.


17h20 – 18h
Encerramento
18h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.