sexta-feira, 26 de julho de 2013

Sejap realiza 1° Encontro Feminino de Relação Interpessoal às internas do Presídio Feminino

                                                                                                                  J. Roberto
           
 Por: Alan Jorge

A Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária (Sejap), por meio da coordenação de Assistência Laborterápica e Profissionalização Trabalho e Renda, realizou na manhã de quinta-feira (25), na sede do órgão, no Outeiro da Cruz, o 1° Encontro Feminino de Relação Interpessoal. Destinada às internas do Presídio Feminino, a ação teve como foco o estreitamento de laços entre as detentas. Na ocasião, o secretário Sebastião Uchôa anunciou 30 vagas de empregos às apenadas daquela unidade.
Em uma conversa informal com as internas, Uchôa falou sobre as vagas de emprego. De acordo com ele, será feito um seletivo com 60 presas – tanto provisórias quanto sentenciadas – e as 30 que se destacarem poderão adentrar ao mercado de trabalho. “É uma oportunidade de recomeçar. Algumas podem trabalhar na sede da Sejap, enquanto que outras poderão ser encaminhadas a outros órgãos”, disse o secretário.
Sobre a escolha das internas que serão inseridas no mercado de trabalho, a coordenadora da Assistência Laborterápica, Grazielle Bacellar, contou que testes de aptidões profissionais serão realizados para saber em que área cada apenada atuará.
Segundo Grazielle, as detentas passarão por entrevistas e diversos testes antes de serem inclusas no mercado profissional. “Elas serão avaliadas para sabermos com o que cada uma tem afinidade. Buscaremos saber se as meninas têm cursos. Faremos entrevistas e testes para ai, então, vermos em qual área elas tem habilidade para trabalhar”, afirmou.
 A ação
O 1° Encontro Feminino de Relação Interpessoal foi uma iniciativa do secretário adjunto de Justiça, José Ribamar Cardoso Lima, com o intuito de proporcionar às reclusas um dia fora da rotina prisional. Além disso, a ação teve como foco realizar dinâmicas de grupo para auxiliar a integração entre as participantes, com a finalidade de resolver conflitos e proporcionar o autoconhecimento.
A coordenadora da assistência laborterápica, Grazielle Bacellar, explicou que a partir do momento que é trabalhado a relação interpessoal entre elas facilita a inserção no mercado de trabalho. “A proposta foi promover um momento de auto reflexão, em que todas venham interagir uma com a outra e construir novos laços. Até porque esse aprendizado que elas estão tendo aqui é fundamental no mercado de trabalho”, pontuou.
Internas
A detenta Sebastiana da Costa de Carvalho falou sobre a importância dessa ação. A interna, presa por tráfico de drogas, disse que esse foi um momento onde ela aprendeu muito. Natural da cidade de Manaus, Sebastiana disse que as palestras e as atividades foram muito proveitosas. “Muito interessante. Aprendi muito, sem falar no momento de maior interação com as amigas do presídio”, comentou.
Ramaira Ellen Marine destacou que o evento serviu para unir ainda mais todas as internas. De acordo com ela, o encontro foi visto de forma positiva por todas as internas. “Todas nós aprovamos a ação. Com certeza ajudará muito a nos relacionarmos dentro da unidade. Esse evento nos traz uma perspectiva para traçarmos uma nova vida fora do presídio”, disse ela.
A realização do evento só foi possível por conta do apoio direto de parceiros que se empenharam em promover essa ação. Entre esses, estão a terapeuta ocupacional do Núcleo de Assistência Biopsicossocial (Nasb), Silvia Helena Soeiro; as psicólogas Keite Rebolsas e Francisca Silvino; e a terapeuta ocupacional da assistência laborterápica, Socorro Cardoso.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.