segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Fantástico repercute cidades do MA com piores IDHs do país

O programa ‘Fantástico’, da Rede Globo de Televisão, exibiu reportagem ontem à noite retratando duas cidades do Maranhão – Fernando Falcão e Marajá do Sena – detentoras dos piores IDHs do Brasil e q    ue, também, padecem com suspeita de corrupção.
De acordo com a matéria do ‘Fantástico’ Fernando Falcão e Marajá do Sena estão entre os piores lugares pra se viver no Brasil. E sabe o que eles têm em comum, além da pobreza? Suspeitas de corrupção!
O Brasil do atraso vive no isolamento da Floresta Amazônica. De acordo com o estudo divulgado segunda-feira passada pelo programa das Nações Unidas para o desenvolvimento, Fernando Falcão, no Maranhão detém o segundo pior IDH do Brasil.
O Índice de Desenvolvimento Humano leva em conta a renda, a educação e expectativa de vida dos moradores.
“Quanto mais pobre o lugar, piores são as condições de controle e maior é a chance de você ter corrupção”, disse o diretor da Transparência Brasil, Cláudio Weber Abramo. O Fantástico apurou que em melgaço – e nas outras 9 cidades com os piores Idhs – há denúncias de desvio ou mau uso do dinheiro público.
“As consequências da corrupção são mais graves para os mais pobres, porque quem tem menos dinheiro precisa mais daquele pouco que tem”, destaca o diretor.
A reportagem do ‘Fantástico’ mostrou como estão as investigações nos outros quatro municípios mais carentes do país. Começando por Fernando Falcão, no Maranhão: o segundo pior IDH do Brasil.
A estrada de terra – rodeada de lixo – é o único acesso a Fernando Falcão, que tem cerca de 9000 habitantes. Francilene tem duas filhas e ganha, em média, 30 reais por mês. “Tem dia que a gente passa como Deus quiser”, relata.
Em 2000, o Governo Federal mandou R$ 583 mil para um programa de geração de renda, que poderia ajudar pessoas como Franciele. Até hoje, o Ministério Público Federal quer saber o que foi feito com o dinheiro. Na época, o prefeito era Zeferino Almeida. “Nada foi comprovado que eu corrompi esse dinheiro. Saí pobre da prefeitura”, afirma.
A cidade com o quarto pior IDH do Brasil também fica no Maranhão. É Marajá do Sena, cerca de 8 mil habitantes. Luís Abreu foi prefeito entre 1997 e 2004 e tem duas condenações por irregularidades no uso do dinheiro público. Ele ainda responde a cinco processos na Justiça Federal.
Um deles envolve um convênio, de 1998, com o Governo Federal para a implantação de um sistema de abastecimento de água potável na cidade. O Ministério Público Federal investiga onde foi parar a verba, de R$ 75 mil. “Nunca desviei recurso e até hoje estou por aqui de cabeça erguida”, conta o ex-prefeito. Marajá do Sena tem a renda mais baixa do país. Cada morador ganha, em média, R$ 96 por mês.
Na comunidade, por exemplo, falta saneamento básico. Também não há posto de saúde por lá, e água encanada, não tem. Cada morador precisa cavar o seu próprio poço nos fundos de casa. “Ainda trabalho na roça e tudo, e o rojão é esse. Tem que fazer força”, disse a lavradora Maria das Neves Magalhães.
“A corrupção diminuirá quando houver menos pobreza”, destaca o diretor da Transparência Brasil.O desenvolvimento traz uma necessidade maior de haver eficiência no gasto público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.