terça-feira, 15 de outubro de 2013

Centro de Integrado de Atenção Psicossocial vai atender policiais

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) deu início nesta terça-feira (15) a primeira etapa do processo de implantação do Centro Integrado de Atenção Psicossocial-Álcool e Drogas (CIAP-ad). 

A meta é que em janeiro de 2014, o CIAP-ad esteja em completo funcionamento. Participam desta etapa, que é Curso de Capacitação na área de Dependência Química, cerca de 320 profissionais, entre policiais civis, militares e bombeiros. Os alunos estão distribuídos em oito turmas.

O local, que será uma referência no atendimento especializado ao policial, desenvolverá ações de atuação com foco na prevenção e no restabelecimento da saúde física, mental e social dos profissionais da Segurança Pública em situação de dependência de substâncias psicoativas (álcool e outras drogas). 

O intuito, segundo a coordenação do CIAP-ad, é reduzir os índices de adoecimento de policiais e bombeiros. O espaço físico esta sendo viabilizado pela SSP. Inicialmente, o centro funcionará em um prédio locado pelo órgão.

Durante a abertura oficial da capacitação, que ocorreu no Grand São Luis Hotel, a delegada geral de Polícia Civil, Maria Cristina Resende destacou a importância da instalação do centro. 

“Hoje as drogas são uma problemática de saúde pública, na qual todas as instituições precisam estar unidas para que possam impedir que mais pessoas sejam atraídas. Este aqui é um espaço para profissionalizar as três forças de segurança, para que se possa identificar, de forma correta, dentro das nossas instituições, quem são os profissionais que precisam de atendimento. Estaremos acima de tudo resgatando vidas”.

A implantação faz parte de um convênio entre os governos estadual e federal, por meio do Ministério da Justiça. O projeto faz parte das ações do Programa Nacional de Atenção à Saúde dos Servidores de Segurança Pública, da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). 

 No Maranhão, a implantação e capacitação é supervisionada pelo Departamento de Assistência e Apoio Biopsicossocial da SSP.

“O Centro é uma demonstração de que o Governo do Estado está sensível a esse problema que atinge hoje todas as instituições. Cada profissional aqui capacitado poderá identificar os primeiros sinais e assim fazer uma leitura diferenciada diante da situação. 

Com o centro totalmente implantado, teremos um grande número de recuperados”, pontuou o secretário adjunto de Desenvolvimento e Articulação Institucional, coronel Antonio Roberto dos Santos Silva.

Já promotora e presidente do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas, Glória Mafra parabenizou a Secretaria de Segurança pela iniciativa da implantação do Centro. “É necessário que todos conheçam a matéria para que possam enfrentar de forma técnica e não apenas utilizar proposições do senso comum. Perceber que a SSP abre hoje este importante canal de diálogo é uma iniciativa que merece destaque”, ressaltou.

Operacionalização
A coordenadora do Departamento Biopsicossocial, Daniela Prazeres explicou que a capacitação formará profissionais da área de saúde que irão compor as equipes multidisciplinares do centro. Elas irão atuar na prevenção, abordagem e tratamento e ainda formar os multiplicadores que serão responsáveis em expandir os conhecimentos técnicos e identificar os profissionais que necessitam de tratamento.

Segundo ela, outro foco será permitir ações continuadas de sensibilização e promover o acolhimento e tratamento dos profissionais dependentes. “Teremos ainda ações de apoio à reestruturação familiar dos servidores em tratamento, que promovam o retorno de forma gradativa para suas atividades laborais. Neste aspecto, cada profissional que estiver sob o tratamento será acompanhado por uma equipe de profissionais especializados”, detalhou.

A coordenadora disse ainda que o tratamento será oferecido de forma gratuita ao servidor. Durante o tratamento, o profissional frequentará diversas atividades, dentre elas as de grupo, esportes, físicas, religiosas e culturais. Cada profissional poderá receber o tratamento de duas formas: de forma voluntária ou através do encaminhamento do chefe imediato.

Os cursos
As aulas estão sendo ministradas por professores e especialistas do Instituto Sapiens Vitae de São Paulo (SP). As palestras trabalham temáticas sobre Técnicas de Prevenção, Técnicas de Identificação e Técnicas de Tratamento.

A meta, conforme explicou a coordenação, é atingir 3.300 mil policiais e bombeiros com os cursos e as palestras itinerantes que serão ministradas em todo o Maranhão. A previsão é que as palestras tenham início no dia 18 de novembro.

Estiveram presentes ainda a Ouvidora de Segurança Pública, Elivânia Estrela; o coordenador do CAPS-ad do Maranhão, Marcelo Soares; o subcomandante da Polícia Militar, coronel Edilson Gomes, os tenente-coronel João Frederico, comandante do 9º BPM; o tenente-coronel Luis Gonçalves Lima, representando o comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão, João Vanderley, além de comandantes dos Batalhões da Região Metropolitana e de profissionais da área de saúde, assistência social, médica e outras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.