quinta-feira, 10 de outubro de 2013

SSP adota medidas para combater ações criminosas na Região Metropolitana

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) está adotando várias medidas para combater os crimes na Região Metropolitana. A informação foi dada pelo secretário Aluisio Mendes, na tarde desta quinta-feira (10), durante entrevista coletiva concedida à imprensa no Palácio Henrique de La Rocque (Calhau).

Entre elas, está o reforço do contingente policial em toda a cidade. Militares que desempenham funções administrativas e que estão de folga serão empregados no patrulhamento de rua. Além disso, o Governo do Estado vai construir, de forma emergencial, três novas unidades prisionais de segurança máxima. A governadora Roseana Sarney já determinou as construções.

Mendes tranquilizou ainda a população e afirmou que as informações disseminadas nas redes sociais de que estariam ocorrendo arrastões em universidades e shoppings da capital foram apenas boatos e que os assaltos ocorridos na noite da última quarta-feira (9) foram pontuais e em nada impacta a questão da segurança na Região Metropolitana.

“Não houve nenhum arrastão na cidade nesta quinta-feira. Todas as denúncias foram checadas pelas equipes policiais e estão sendo acompanhadas em tempo real pelas polícias Civil e Militar. Não houve nenhum evento atípico pela manhã. 

Algumas pessoas se aproveitaram do momento para provocar o pânico. Já reforçamos o policiamento e vamos agora potencializar as ações. Estamos também identificando essas pessoas que deram início a estas informações a fim de responsabilizá-las criminalmente”, assegurou Aluisio Mendes.

O secretário de Segurança mencionou ainda que foram nove mortes e 17 detentos ainda estão internados, por conta da rebelião no Complexo de Pedrinhas, após duas organizações criminosas que disputam espaço pelo tráfico se encontrarem.

 Ele afirmou que a Secretaria Adjunta de Inteligência identificou que um túnel estaria sendo construído e por onde fugiriam cerca de 60 presos. De posse dessa informação, foi dado início a uma revista e alguns presos acabaram destruindo uma contenção e entrando em outro espaço. 

No local teria, segundo Aluisio Mendes, ocorrido o confronto e alguns detentos teriam sido mortos e feridos. “Todos os feridos e mortos foram oriundos do confronto entre as facções. Foram encontradas duas armas no confronto. A polícia não disparou um só tiro de arma de fogo, apenas de armas não letal”, explicou.

Investigações
O titular da pasta da Segurança Pública informou que a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) está à frente dos trabalhos para identificar os envolvidos tanto na proliferação dessas falsas notícias dos arrastões como nos atos criminosos que atearam fogo em dois ônibus e nas quatro tentativas. “A Polícia possui um arcabouço tecnológico que será capaz mapear os locais de origem destas informações, sejam elas e-mail ou aparelhos celulares”, afirmou.
Ele disse ainda que os membros desses grupos criminosos que querem a hegemonia do tráfico de drogas na capital, já estão mapeados, e que a prisão é uma questão de tempo. “Já conseguimos identificar que as ordens saíram de dentro da penitenciária, para que os soldados do tráfico que estão do lado de fora executasse as ações criminosas. A ordem era que os criminosos vingassem as prisões ocorridas na operação da última segunda-feira (7), na qual foram presas 39 integrantes de um grupo criminoso em uma festa no Araçagi. Já sabemos quem determinou essa ordem e existe uma força tarefa empregada, exclusivamente, nessas investigações”, completou Mendes.

Instalação das USCs
Aluisio Mendes lembrou, ainda, o caso do Rio de Janeiro que há 10 anos vivia uma onda de violência. Foram criadas as Unidades de Polícia Pacificadores (UPPs), o que reduziu a criminalidade, o espaço de atuação destas organizações e diminuiu os índices nas regiões onde foram instaladas. No Maranhão, o Governo do Estado está implantando as Unidades de Segurança Comunitária (USC). A primeira, que foi instalada na área da Divineia/Vila Luizão, já reduziu em mais 85% a violência. O projeto será replicado para outras regiões.
Na próxima terça-feira (15), acontecerá a assinatura da Ordem de Serviço para a construção da USC no Coroadinho. As obras da Cidade Olímpica iniciarão ainda este mês. Além desses, outros nove bairros serão contemplados com as USCs.

União de Esforços
Ainda dentro das ações de combate à criminalidade, várias instituições, como Secretaria de Segurança, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Prefeitura de São Luís, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal assinaram um Termo de Cooperação propondo um pacto para o enfrentamento à violência no Estado, em que todos sem comprometem a atuar de forma integrada. A reunião ocorreu na sala da presidência do Tribunal de Justiça e foi presidida pela desembargadora Cleonice Freire.
O intuito é criar um gabinete permanente de trabalho para que haja uma cooperação entre as entidades. Ficou acordado que haverá uma interligação de sistemas de informações, unindo tecnologia e gestão, e ainda agrupar a sociedade civil organizada nesses espaços de discussão. Outra medida será o fortalecimento do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), com a inclusão de membros do Ministério Público e da Assembléia Legislativa e das políticas de repressão. Uma nova reunião ficou agendada para o próximo dia 25.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.