domingo, 10 de novembro de 2013

Cúpula de Segurança toma medidas para coibir ações de criminosos na capital

“Estamos aqui dando uma resposta dura e imediata aos episódios ocorridos no último sábado (9), pois temos total convicção que somos mais fortes que qualquer criminoso que se levante contra o Sistema de Segurança. Estamos atrás de todos aqueles que estão cometendo estes crimes, onde quer que estejam”. Esta foi a declaração dada pelo secretário Aluisio Mendes, durante reunião com a cúpula do Sistema de Segurança para planejamento de ações eficazes em resposta aos ataques contra dois traillers da Polícia Militar instalados nos bairros da Vila Nova e de Fátima.
Durante toda a manhã deste domingo (10), o secretário de Segurança discutiu e traçou estratégias com a cúpula das polícias Militar e Civil e ainda do Corpo de Bombeiros.  Aos comandantes dos Batalhões e unidades policiais, Aluisio Mendes afirmou que as forças policiais têm total apoio do Governo do Estado para agirem, dentro da legalidade, de forma dura e eficaz contra o crime. Ele assegurou que os militares que desempenham funções na Região Metropolitana passarão a contar com o acautelamento de armas.
Além disso, será reforçado o patrulhamento em todos os pontos da cidade e haverá uma unificação do sistema de informações entre as polícias para que as ações ocorram de forma integrada e mais rápida. Outra medida acertada é a de que os trailers permanecerão funcionando o tempo que for necessário, e a partir de agora devem receber reforço no efetivo e em viaturas.
 Fora de circulação
Para a cúpula do Sistema de Segurança, os episódios ocorridos na Vila Nova e no Bairro de Fátima são uma reação do crime organizado às ações efetivas de combate que vêm sendo deflagradas pelas polícias Militar e Civil. Só nos últimos vinte dias, segundo o secretário de Segurança, as policiais tiraram de circulação mais de 40 líderes e integrantes de facções criminosas que atuam na Região Metropolitana de São Luís.
“Estas facções estão sentindo que estamos agindo de forma enérgica. Já temos o mapeamento de todas estas facções, a identificação dos envolvidos, quem ordenou essas ações. Vamos prender todos os responsáveis por estes crimes que foram cometidos. Esta é uma reação vista em vários estados do Brasil sempre que o Sistema de Segurança opta por enfrentar estes criminosos. O Estado é mais forte e já está mostrando isso”, analisou.

Já o comandante geral da Polícia Militar, coronel Franklin Pacheco afirmou que o policiamento na cidade será ampliado.  “Vamos intensificar nossas ações e aumentar o número de abordagens e prisões e retirar armas de circulação. Estaremos unidos ao Sistema de Segurança e reforçaremos o policiamento em torno dos trailers. Aliado a isso outras estratégias estarão sendo deflagradas nos próximos dias”, afirmou.
 Presos
Aluísio Mendes afirmou ainda que seis pessoas já estão detidas suspeitas de envolvimento com os ataques. Segundo ele, um dos presos confessou que participou dos fatos. O Serviço de Inteligência, com apoio de homens do Batalhão de Choque, de todas as unidades e de duas aeronaves do Grupo Tático Aéreo (GTA) que estão sobrevoando diversas áreas de São Luís, está à procura dos envolvidos na morte do soldado Francinaldo Sousa Pereira, durante ataque, neste sábado (9), a um trailler da polícia, na Vila Nova, como também no Bairro de Fátima, onde o sargento Marco Antonio Correa Cutrim e uma moradora foram baleados.
Em relação à presença da Força Nacional no Maranhão, Aluisio Mendes descartou, inicialmente, a participação dos militares no trabalho de rua, em São Luís. O secretário de Segurança assegurou que as Polícias têm total condição de fazer frente ao crime. Ele informou que existem indícios de que as ordens tenham saído de dentro de Unidades Prisionais e que já está mantendo contato com a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) para que reforce o monitoramento e as revistas nos presídios.
 Investigações
A delegada geral de Polícia Civil, Maria Cristina Resende informou que todos os esforços estão sendo empreendidos no intuito de identificar e prender não só apenas os executores dos ataques, mas também os mentores intelectuais.
“Já determinei que a Polícia Civil intensifique o trabalho de investigação e levantamento de informações. Estamos preparados para qualquer evento que ocorra e vamos estar juntos com a PM no enfrentamento a esses grupos criminosos”, declarou Maria Cristina.
Estiveram presentes ainda os secretários adjuntos de Inteligência e Assuntos Estratégicos, Laércio Costa e de Desenvolvimento e Articulação Institucional, coronel Antonio Roberto dos Santos Silva; o subcomandante do Corpo de Bombeiros, coronel José Henrique Pessoa; o comandante do Policiamento Metropolitano, coronel João Nepomuceno; superintendente estadual de Investigações Criminais, delegado Augusto Barros; a superintendente de Polícia Civil da Capital, delegada Katherine Chaves; além de comandantes do batalhões da Região Metropolitana.
 Outras medidas
Na ocasião, Aluisio Mendes anunciou que o Governo do Maranhão está fechando um convênio com a Empresa Taurus para que as polícias possam adquirir pistolas com a redução do IPI. O secretário deve apresentar, nesta segunda-feira (11), o projeto que prevê a assistência jurídica para os policiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.