segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Juiz maranhense afirma: “A violência não é virtual, só propaganda não resolve”

Para o juiz Gervásio Protásio Santos nenhuma Instituição está incólume aos ataques criminosos. A declaração, postada em seu Facebook, ocorreu depois de facções criminosas de São Luís terem provocado, neste final de semana, o terror em São Luís, com assassinatos – entre os quais um policial militar – , ataques a trailers da PM e delegacias de polícia.
“A situação da segurança pública está alcançando níveis dramáticos e precisa ser enfrentada com urgência. A violência não é virtual (como chegou a ser declarado certa vez pelo Secretário), só propaganda não resolve, culpar o Judiciário também não”, disse Gervásio.
Presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão, Protásio Jr. entende que as autoridades de segurança pública “precisam reconhecer a existência do problema e adotar medidas emergências para resolvê-lo, deixando de jogar a ‘poeira para baixo do tapete’”.
“Tenho certeza que o executivo estadual se priorizar o tema terá apoio integral do Judiciário e do Ministério Público, além da União e da própria sociedade maranhense”, declarou o magistrado, ao relatar que Fórum de Paço do Lumiar foi alvo de disparos praticados por bandidos.
Mais ataques
Na noite deste domingo, outro trailer da PM foi atacado, desta vez o da Cohab.
Na reunião com a cúpula do Sistema de Segurança realizada neste domingo para discutir ações eficazes em resposta aos ataques ocorridos na capital, o secretário Aluísio Mendes anunciou apenas o básico, o que já era para ser feito há muito tempo e não vinha acontecendo, como o acautelamento de armas (o PM poder levar para casa), reforçar o patrulhamento em todos os pontos da cidade (ampliação do patrulhamento é uma regra básica em qualquer lugar diante do aumento da criminalidade), uma unificação do sistema de informações entre as polícias para que as ações ocorram de forma integrada e mais rápida.
Ou seja, tudo isso, pelo que dá a entender, não vinha sendo executado aqui, prova da incompetência de quem dirige o nosso sistema de segurança, este totalmente falido.
Para piorar, o secretário ainda teve a ousadia de fazer a seguinte afirmação: “Temos o mapeamento de todas estas facções, a identificação dos envolvidos”. E por que cargas d’água ainda não foram localizados e presos estes elementos? Vai entender…
Falta de solidariedade
20131110_170105
Lamentável também a falta de apoio e sensibilidade das autoridades com o policial militar Francinaldo Sousa Pereira, fuzilado com 23 tiros no sábado em um trailer da PM na Vila Nova.
No seu sepultamento, ocorrido na tarde deste domingo, Francinaldo não teve direito as honras militares, muito menos a coroa de flores, que só foi conseguida pelo fato de um capitão PM de seu batalhão ter comprado do seu próprio bolso. O secretário Aluísio Mendes e a governadora Roseana Sarney nem mesmo uma nota lançaram lamentando o ocorrido. Quanto desrespeito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.