terça-feira, 12 de novembro de 2013

Padrasto estupra 3 enteadas há 10 anos em Timon

Pedreiro Olímpio Cardoso Neto acusado de estuprar as crianças

O pedreiro Olímpio Cardoso Neto, de 52 anos, abusou sexualmente das três enteadas. Sendo que a mais velha das garotas, hoje com 18 anos, C. G. S. foi quem o denunciou à polícia. O caso estava sendo investigado pela Delegacia da Mulher de Timon, sob a responsabilidade da delegada Wládia Holanda, titular daquele órgão público. De acordo com o relato de C. G. S à delegada, o padrasto começou a praticar os abusos sexuais, desde que a menina tinha oito anos de idade.
A mãe das garotas
Depois o pedreiro passou a estuprar a outra criança de iniciais K. G. S, desde os 10 anos. K. G. S. tem hoje 16 anos e fugiu de casa, indo morar em São Paulo. Segundo a delegada Wládia Holanda, A garota mais velha contou ainda que K. G. S se comunica com a irmã por telefone, e disse que só voltaria para casa quando o padrasto fosse preso.

A outra menina, a mais nova das três, M.S.C., hoje com seis anos de idade, foi submetida a exame de corpo de delito, e foi constatado, de acordo com o laudo médico, que a criança não possui mais hímen. “Um fato triste e nunca visto antes e de tamanha brutalidade. Ou seja, durante dez anos o agressor vinha cometendo essa atrocidade no ambiente familiar, o que causou prejuízos emocionais irreversível a toda família”, enfatiza a delegada Wládia Holanda. A Família reside no bairro Padre Delfino, no município de Timon-Maranhão. O agressor convivia maritalmente com a mãe das crianças há 16 anos.
Delegada Wládia Holanda

O acusado foi preso por policiais de Timon e foi ouvido pela delegada Wládia Holanda, a quem confessou os crimes de abuso sexual. “Ele confessou que abusava das garotas. Relatou e confirmou todos os fatos denunciados pela garota mais velha, e disse que não sabe o motivo que o levou a praticar as atrocidades. A garota mais velha comentou também que não o tinha de denunciado antes, porque estava esperando completar 18 anos. E que sua irmã, de 16 anos, fugiu de casa tanto pelos abusos sexuais,  como também pelo fato de o acusado ameaça-la, sempre, com faca no pescoço” ressaltou a delegada, acrescentando que o acusado está com prisão temporária, concedida pela juíza da 3ª Vara Criminal de Timon e será levado ainda hoje, para o 2º Distrito Policial da cidade. A prisão ocorreu em forma sigilosa, pela polícia de Timon.

Situação da família

De acordo com a delegada Wládia Holanda, as garotas C. G. S de 18 anos e a menor M. S. C, de seis anos, estão emocionalmente desequilibradas e se encontram em uma casa de proteção, mantida pelo Conselho Tutelar de Timon. A menor  M. S. C é adotada.


A mãe das garotas, D.L.S., de 39 anos é portadora de esquizofrenia e paciente do Hospital Areolino de Abreu. O acusado se aproveitava da medicação que sua mulher tomava e, durante a noite ele sedava M. L. S.  com a medicação Diazepam, para poder praticar violência sexual contra as menores. A delegada disse ainda que a mulher deva ser levada para tratamento, em uma casa especializada. A mulher era agredida pelo acusado. D. L. S. teve os dedos das mãos quebrados pelo marido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.