quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Geop atua nas unidades prisionais do Maranhão


O Grupo de Escolta e Operações Especiais (Geop) que integra a Secretaria de Estado da Justiça e Administração Penitenciária (SEJAP) foi criado pelo Governo do Maranhão com o objetivo de agir em intervenções nas unidades em situações de crise, realizar escoltas de presos para audiências e emergências hospitalares. O grupo tem desempenhado papel importante na segurança e contenção de distúrbios no Complexo Penitenciário de Pedrinhas durante o período de crise do sistema prisional.

O Geop que vem trabalhando de forma alinhada e em conjunto com a Policia Militar e a Força Nacional que atualmente reforçam a segurança dentro das unidades do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, contará em breve com a chegada de novas viaturas, armamentos e ainda o aumento do efetivo do grupo.
O coordenador de Operações Penitenciárias do Estado do Maranhão, Marcos Travassos, explica que o Geop tem sido requisitado em todas as situações de emergência no complexo e que o grupo está preparado para agir 24 horas em ações de crise prisional.
“Só em 2013 as operações feitas pelo grupo chegaram a 5772 audiências realizadas, sendo 5044 só na capital, e 91 intervenções em ambiente prisional. Com o reforço de pessoal e equipamento o desempenho será ainda melhor”, destacou o coordenador.
Para o Secretário de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária, Sebastião Uchôa, o grupo é fundamental na segurança das unidades “Além de toda qualificação para a realização dos procedimentos, o grupo tem todo conhecimento interno das unidades prisionais o que facilita as atividades”, frisou Uchôa.
GEOP

Formado por agentes e inspetores penitenciários de carreira, os integrantes do Geop passam por teste de aptidão física e curso para atuar na área de operações penitenciárias. 
Dentre os cursos já realizados estão o ministrado em 2008 pela Força Nacional, que tornou o grupo apto a agir em intervenções nas unidades em situações de crise; por membros da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE) de Brasília que é referência nacional e até internacional no que tange a área de intervenções e ações em ambiente penitenciário; treinamentos ministrados pelo Batalhão de Choque da PM, do Comando de Operações Especiais, GTA e Policia Federal; entre outros.
De acordo com o Subcoordenador de Operações Penitenciárias do Estado do Maranhão, Michael Santos, mais do que preencher os pré-requisitos para participar do grupo é preciso ainda ter muita abnegação e estar sempre pronto a trabalhar qualquer dia e hora que for necessário. 
Segundo ele, o Geop é capacitado no uso de tecnologias não letais para que o confronto traga o mínimo de dano ao preso preservando a integridade física do apenado. 
Balas de borracha, gás de pimenta e lacrimogêneo, e granadas de gás e efeito moral são os equipamentos utilizados nas intervenções.
A sede do Geop fica localizada em um ponto estratégico dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas e essa possibilidade de ter uma proximidade do ambiente em que irá atuar é um passo a frente para o grupo em relação às situações que ocorrerem, pois o conhecimento do local facilita na realização do trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.