quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Quem tiver pena que leve o carro para casa, diz promotor Cláudio Guimarães

O promotor de Controle Externo da Atividade Policial, Claúdio Guimarães, autor da recomendação feita à Prefeitura de São Luís para a retirada do carro do ‘Pirata da Litorânea’, afirmou que, como promotor de Justiça, é pago para garantir o cumprimento da Lei.


“A conta quem está pagando é só o poder público. Parece que em um espaço público qualquer ilegalidade é permitida. Quem estiver com pena dele é só mandar o endereço que a gente manda deixar o carro na porta da residência. Sem nenhum problema”, ironiza Guimarães.
De acordo com o promotor, a população já ligou fazendo denúncias sobre o ‘pirata’. “Não tenho confirmação ainda, mas denunciaram na promotoria que ele quebrou um banco da Litorânea e está usando a madeira para armar a rede dele. Isso é crime grave, é dano ao patrimônio público”.
A retirada do carro do artista paraibano Antonio Carlos da Silva, da Avenida Litorânea, em São Luís, vem causando revolta nas redes sociais. Na manhã desta quinta-feira (13), uma postagem da página “Fórum de Bicicletas São Luís” que fala da remoção do veículo realizada pela Prefeitura de São Luís na tarde de quarta (12), já havia alcançado 437 curtidas e 599 compartilhamentos.

“O ‘Pirata da Litorânea’ teve o carro levado por um guincho da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), nessa quarta-feira (12), por estar em ‘situação irregular’ no estacionamento da Avenida Litorânea. Detalhe: no dia 20 de fevereiro do ano passado, a mesma SMTT já havia informado que a situação era regular e que, portanto, o carro poderia ficar no local. Estamos indignados com isso, esse senhor (pirata) já é um patrimônio da litorânea, tantos carros parados na ciclovia da Rei de França a SMTT nunca guinchou um carro lá, esse cara que não faz mal a ninguém e mais ainda, é alegre e prestativo com todos sofre pela ação inescrupulosa da prefeitura”, diz a postagem.
Ocupação do espaço
O promotor de Justiça, Cláudio Guimarães, explicou que a ocupação do espaço público é permitida por trailers, automóveis, que não sejam fixos e com a devida autorização do poder público municipal. “Agora, pegar uma carcaça velha que já não anda, parar no espaço público, e fazer como moradia é infração de todas as regras do Código de Postura do Município”, conclui.

DO JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.