quarta-feira, 12 de março de 2014

Ouvidoria da SSP divulga balanço das ações 2013 e homenageia policiais

A Ouvidoria de Segurança Pública apresentou, na manhã desta terça-feira (11), em cerimônia, o relatório de atividades promovidas pelo órgão durante o ano de 2013. Na ocasião, a titular do órgão, Elivânia Estrela, homenageou os policiais militares, bombeiros e profissionais da Polícia Civil pelos relevantes serviços prestados à sociedade, oriundos, segundo explicou a ouvidora, das próprias lideranças comunitárias, conselheiros tutelares, moradores e pelos profissionais das próprias polícias. 

Entre os pontos destacados durante o primeiro ano, a atual gestão trabalhou na interiorização da Ouvidoria com a aproximação do Sistema de Segurança com a comunidade e o atendimento a populações mais vulneráveis como quilombolas, crianças, adolescentes, mulheres e população LGBT foram às questões elencadas como metas cumpridas. Além destas, a realização de audiências públicas também foram citadas na apresentação do relatório. Nestas reuniões com as comunidades, a Ouvidoria recebia as demandas da sociedade nas questões relacionadas à segurança.

 “Nosso papel não é ir contra as instituições policiais e a polícia, pelo contrário, é buscar um diálogo com as polícias e a sociedade civil, bem como consolidar uma aliança com os agentes de segurança pública, tendo como objetivo não apenas encaminhar denúncias, mas compreender e trabalhar junto com eles para a solução dos problemas que vão surgindo e que muitas vezes são inerentes à profissão. Assim temos a finalidade de tentar melhorar o atendimento e a prestação de serviço destes agentes para a população”, comentou a ouvidora Elivânia Estrela.

Relatório
A Ouvidoria de Segurança Pública do Maranhão registrou, no primeiro ano de gestão, 280 atendimentos, entre denúncias, reclamações, informações, sugestões e elogios. Do total, 53% foram em São Luís, 11% correspondente às cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa e 36% oriundos de cidades do interior.

Elivânia Estrela explicou que os números não demonstram que os abusos e contravenções policiais em torno da capital são mais constantes. “Ao contrário do que se possa imaginar, essa porcentagem de mais de 50% registrado na capital dá-se pelo acesso facilitador e a localização da Ouvidoria ser em São Luís. No entanto, percebe-se, a partir do segundo semestre, um avanço significativo no atendimento oriundo do interior, resultado do reforço no trabalho de interiorização que a Ouvidoria vem desenvolvendo”, destacou.

Ela comentou que após o trabalho de diálogos iniciado na Cidade Olímpica, em maio, a Ouvidoria de Segurança Pública fez uma verdadeira maratona na capital e pelo interior do estado, descentralizando os trabalhos do órgão. Ao todo, foram percorridos 39 municípios e realizadas mais de 30 audiências públicas, intercaladas com visitas a distritos policiais e demais repartições que integram a Secretaria de Segurança Pública.

Homenagens
Como resultado dos relevantes serviços prestados à sociedade, 28 profissionais das Polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros foram homenageados na cerimônia, entre eles, a delegada Geral de Polícia Civil, Maria Cristina Resende; os coronéis João Vanderley Pereira e Aldimar Zanoni Porto, comandantes gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, respectivamente; e a superintendente de Polícia Civil da Capital, delegada Katherine Chaves.

No momento da entrega dos certificados aos delegados Jefrey Furtado e Guilherme Filho, ambos da Delegacia de Homicídios e ao diretor do Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim), Carlos Henrique Roxo, Elivania Estrela contou que os elogios faziam referência à elucidação do homicídio da menina Gabriele da Silva Coelho, 10 anos, crime ocorrido no dia 25 de julho deste ano, no bairro do J. Lima. O resultado apontou que o crime foi praticado pelo tio da menina identificado como Paulo da Silva Soares e um adolescente de 17 anos.

“Sinto-me orgulhosa por esse reconhecimento da sociedade. Estes elogios demonstram que nossa busca pela excelência na prestação está no caminho certo. Continuaremos trabalhando para que os profissionais da Polícia Civil tenham melhor estrutura que a sociedade tenha suas demandas solucionadas sempre que precisar dos trabalhos da Polícia Judiciária”, comentou a delegada geral Maria Cristina, ao receber das mãos da ouvidora de Segurança o certificado comprovando os elogios.

Já o comandante geral do Corpo de Bombeiros e a superintendente de Polícia Civil da Capital receberam as honrarias em nome das equipes que atuaram no suposto sequestro e estupro de uma mulher grávida ocorrido em agosto de 2013, na Raposa. 

A suposta vítima contou, na época, à polícia que teria sido atacada por três homens em um matagal no bairro Itapeua-Cumbique, na Raposa, fato que foi desmentido pelas investigações. Nos elogios, a comunidade lembrou o empenho dos militares do Corpo de Bombeiros na procura do bebê que estaria supostamente desaparecido.

Outro elogio feito foi dado aos comandantes dos 6º e 8º BPM, os majores Edilene Soares da Silva e Francisco Wellington Silva, que sempre estiveram em contato com a comunidade. Além destes, foram agraciados os comandantes do 13º BPM, major Jorge Antonio de Araújo; o coordenador geral das Unidades de Segurança Comunitária (USCs), tenente-coronel Jorge Allen Guerra, o comandante do Batalhão de Choque, tenente-coronel Raimundo Sá e seis policiais militares, sendo quatro de Bela Vista e dois de Satubinha.

Estiveram presentes, ainda, o tenente-coronel Antônio Carlos Salles da Silva, representando o comandante geral Aldimar Zanoni, além de delegados, oficiais da Polícia Militar, investigadores da Polícia Civil, representantes das ouvidorias das Secretarias de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania (Sedihc), Amanda Borba; da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania, Carolina Abreu; do Ministério Publico, Marilea Campos; da Defensoria Pública, Mari Silva Maia, além de outras autoridades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.