quarta-feira, 9 de abril de 2014

Força Nacional vai permanecer no Maranhão até o dia 30 de abril


A permanência da Força Nacional de Segurança Pública no Maranhão foi prorrogada até o dia 30 de abril. 

De acordo com a portaria do Ministério da Justiça, publicada nesta quarta-feira (9), no Diário Oficial da União, a prorrogação tem como objetivo manter o apoio aos órgãos federais durante cumprimento de determinação judicial de retirada de famílias que ocupam terras indígenas Awá-Guajá, na região do município de Santa Inês.

De acordo com a Funai, aproximadamente 300 famílias estavam ocupando a reserva indígena Awá-Guajá. No início do mês de janeiro deste ano, ocupantes da terra indígena começaram a ser notificados. 

A retirada das famílias tem como objetivo conter o desmatamento na região, que segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) já afetou 34% do território indígena, com perímetro de 1.700 km² (área pouco maior que o território da cidade de São Paulo), e ameaça a proteção da etnia, considerada por organizações ambientais como uma das mais ameaçadas.

Força Nacional no Maranhão
Agentes da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) iniciaram suas atividades nas instalações do Complexo Penitenciário de Pedrinhas no dia 13 de outubro de 2013. No mês de março, a permanência da Força Nacional foi prorrogada por, pelo menos, por mais 90 dias no Estado.

Segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap), a Força Nacional continua atua em apoio a revistas, rondas noturnas no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e atendimento a ocorrências de altas complexidades nas unidades.Também faz o treinamento de homens do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop).

A vinda da Força Nacional de Segurança ao Maranhão ocorreu após rebelião na Casa de Detenção do Complexo penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, quando nove presos foram mortos em um confronto entre facções criminosas rivais. Na ocasião, a governadora Roseana Sarney decretou situação de emergência no sistema penitenciário do estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.