terça-feira, 1 de abril de 2014

SSP capacita operadores para atuarem no combate ao crack em São Luís

Teve início nesta terça-feira, dia 1º, o treinamento prático para atuação e operacionalização das Bases Móveis do programa “Crack: é Possível Vencer”, do Ministério da Justiça.
A abertura foi realizada no auditório do quartel do Comando Geral da Polícia Militar (Calhau), e contou com as presenças do secretário adjunto de Articulação e Modernização Institucional, coronel Antonio Roberto dos Santos Silva; do comandante do Policiamento Metropolitano, tenente-coronel Marco Antonio Alves; do coordenador das unidades de Segurança Comunitária (USCs), tenente-coronel Jorge Allen Guerra Luongo, e do major James Ribeiro Silva, da Assessoria de Planejamento da SSP.     
Participam desta primeira turma quarenta profissionais de Segurança Pública, entre policiais militares, bombeiros e guardas municipais. Até esta quarta-feira, dia 2, ele receberão noções práticas para atuação e operacionalização das Bases Móveis do programa “Crack: é Possível Vencer”. O treinamento tem carga horária de 16 horas/aulas.  
O secretário adjunto da SSP, coronel Roberto lembrou os esforços que os governos Estadual e Federal têm feito para implementar políticas públicas eficazes no combate às drogas, principalmente do crack, que hoje é o mais consumido entre jovens e adolescentes. “Nós, enquanto forças policiais, vamos fazer a nossa parte, intensificando as ações e operações focadas nas áreas conhecidas como cracolândias, e, também, reforçando os programas preventivos junto às comunidades”, disse.
O programa está sendo desenvolvido pelo Governo Federal, por meio dos ministérios da Justiça, da Educação, da Saúde e do Desenvolvimento Social, em parceria com os governos estaduais e prefeituras. O treinamento está sob a coordenação da Secretaria Adjunta de Modernização e Articulação Institucional (Sadai) da Secretaria de Segurança Pública (SSP).
A qualificação está sendo ministrada pelo instrutor Breno Costa, do Ministério da Justiça, voltada para os alunos que participaram dos cursos de Promotor Nacional de Polícia Comunitária, Abordagens a Pessoas em Situação de Risco (TEPAC) e Rede de Atenção e Cuidados (TEPAC 2). O treinamento prático consiste na segunda etapa da capacitação, em que estão sendo repassados conhecimentos sobre a operacionalização do ônibus, das câmeras de monitoramento, noções de abordagens a dependentes químicos, direitos humanos, delitos relacionados às drogas, como homicídios e assaltos e o apoio e realização de operações e ações preventivas e ostensivas de combate a este tipo de crime.
O comandante do CPM, tenente-coronel Alves ressaltou que a partir desse treinamento, da difusão dos conhecimentos e com o aparato recebido, as ações policiais passarão a ter resultados muito mais positivos. “Vamos poder intensificar ainda mais nossos trabalhos para tirar de circulação criminosos e traficantes que agem em toda a capital”.
Ainda segundo o secretário adjunto de Desenvolvimento e Articulação Institucional, coronel Antonio Roberto dos Santos Silva três bases já foram instaladas no Maranhão. Essas unidades vão monitorar os locais onde há maior circulação de usuários de crack e outras drogas. “Uma das localidades já definida pelos órgãos de segurança é a região da cracolândia do bairro do João Paulo, onde existe um alto índice de circulação de entorpecentes”, frisou o secretário adjunto da SSP.

Sobre as unidades moveis de segurança
As bases móveis contam com sistema de videomonitoramento para auxiliar no combate ao crack na Região Metropolitana de São Luís. Na estrutura, montada em um micro ônibus, existe uma câmera que gira 360º graus, capaz de visualizar uma região com até 3 quilômetros.
Uma unidade de monitoramento vai funcionar na cracolândia do João Paulo, em São Luís. A outra será destinada à cidade de Imperatriz. A terceira ficará sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), que a destinará à Guarda Municipal.
Os ônibus vêm equipados com câmeras e computadores, que serão usados em ações de observação e investigação para monitoramento da cidade. Na capital maranhense serão instaladas 20 câmeras em áreas de cracolândia. A Polícia Militar recebeu também duas viaturas tipo Fiesta Sedam e duas motocicletas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.