quinta-feira, 10 de abril de 2014

Suspeito por homicídio é executado com tiros de pistola na Madre Deus

Antônio Augusto da Cruz Carneiro, de 27 anos, foi executado com cinco tiros de pistola 380, na tarde de ontem (9), por volta das 16h15, na Rua Basílio de Sá, na Madre Deus. O crime aconteceu em uma região conhecida, popularmente, como “Beco dos Burgos”, e teria sido motivado, segundo desconfiança policial, por um homicídio ocorrido no Bairro da Liberdade, no mês passado, no qual a vítima foi apontada como o principal suspeito. A polícia conseguiu capturar, minutos depois, um homem que teria dado fuga para o executor.

Conforme relatou o subcomandante do 9° Batalhão de Polícia Militar (BPM), major Alves, um Vectra prata, de placa NWY-9989, estacionou na Rua São Pantaleão. Um homem que estava no banco do passageiro desceu do veículo e, sem dizer nada, desferiu os disparos nas costas de Antônio Augusto.

Um amigo da vítima, Tiago Pereira Fonseca, 28 – que caminhava junto com dela, seguindo para a academia – foi atingido de raspão nas nádegas; mas não corre risco de morrer, segundo os enfermeiros do Hospital Djalma Marques (Socorrão 1). Augusto ainda chegou a ser socorrido, mas morreu assim que chegou ao Socorrão 1.

De acordo com informações policiais, após cometer o crime, o suspeito entrou correndo no Vectra, onde o comparsa o aguardava, e fugiu para rumo desconhecido. Pessoas que presenciaram a ação criminosa contaram que o homem que atirou é morador da Liberdade. Baseado neste detalhe, a polícia ligou a morte do jovem com o assassinato registrado há um mês, naquele bairro.
Prisão de suspeito – Em menos de uma hora após o crime, uma guarnição do Grupo Tático Falcão (GTF), do 1° BPM, localizou o Vectra prata, na Avenida dos Franceses, nas proximidades do retorno que dá acesso à Avenida dos Africanos. O carro foi interceptado pela equipe policial e por uma viatura da Ronda Ostensiva Tático Móvel (Rotam), pois sua placa teria o mesmo número que o anotado por testemunhas do crime. O condutor do carro, que não quis fornecer seu nome aos repórteres e aos PMs, estava sozinho.
De lá, os policiais o conduziram para o 1° Distrito Policial (DP), na Avenida Beira-Mar. Na delegacia, o homem disse não ter nada a ver com o homicídio, e que estava se dirigindo para casa, no Conjunto do Cohatrac. O delegado Gustavo o interrogou, e, até o fechamento desta matéria, estava realizando diligências a fim de averiguar a participação do suspeito, não havendo informação se ele tinha sido autuado ou liberado.
Populares que tiverem pistas que levem à elucidação do crime, como fotos ou vídeos, podem repassar ao Disque-Denúncia por meio do telefone 3223-5800 ou pelo Whatsapp 9224-8660.

Do: JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.