sábado, 10 de maio de 2014

Apem promove exposição sobre escravidão no Maranhão

Começa no próximo dia 13, às 9h, na sede do Arquivo Público do Estado do Maranhão, a exposição “Mostra de documentos relativos à escravidão negra”, como parte das celebrações dos 126 anos da Abolição da Escravidão no Brasil. Constituída de manuscritos originais e publicações acerca da política escravocrata, da extinção da escravidão e sua repercussão na sociedade maranhense, a mostra integra um conjunto de atos do Arquivo Público para conhecimento público desse momento histórico.
Como prática de rotina, no que diz respeito à divulgação do acervo, a instituição vem, periodicamente, fazendo exposições de seus documentos, dentro dos mais variados temas.
Entre os documentos do acervo estarão expostas correspondências enviadas pelo Governo do Maranhão a várias autoridades relacionadas às exigências das leis de abolição do tráfico, aos problemas dos escravos e às festividades pela Abolição da Escravidão, além de correspondências para o os chefes de governo e de polícia sobre a manutenção da ordem, em virtude dos libertos amotinados e, também, sobre as festividades da Abolição; e livros de autores maranhenses sobre a escravidão e os movimentos que antecederam o fim da escravatura.
O Arquivo Público vem se empenhando em levantar e divulgar fontes documentais referentes ao tema da Escravidão Negra no Maranhão, seja através de publicação de instrumentos de pesquisa, ou realizando exposições. Devido ao grande volume de documentos sobre o assunto, o APEM publicou, em 2012, o primeiro volume do Repertório de Documentos para a História da Escravidão no Maranhão (1754-1840); estando já em execução o segundo volume, cuja publicação acontecerá em breve.
Esse trabalho tem como finalidade oferecer à sociedade maranhense informações e indicação de fontes relacionadas à escravidão negra no Maranhão, tais como a origem dos escravos, suas atividades econômicas e culturais, suas características peculiares e suas ações e reações aos tratamentos que lhes eram dispensados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.