quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Governo abriu oficialmente a IX Semana Maranhense de Dança

O centenário Teatro Arthur Azevedo foi cenário da abertura oficial da IX Semana Maranhense de Dança realizada na noite de terça-feira (3). O evento é realizado pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secma) e conta com a participação de dezenas de grupos, escolas, companhias e bailarinos independentes do Maranhão e de outros estados brasileiros.



A realização da Semana Maranhense de Dança, que já entrou para o calendário cultural do estado, é uma demonstração do compromisso do Governo do Maranhão com todas as linguagens culturais existentes: a cultura popular, a literatura, o teatro, a dança, música, patrimônio histórico, museologia, artesanato, entre outros.



“Desde que assumi o cargo de secretário de Cultura tomei ciência do atraso na realização da Semana de Dança e, com o apoio do governador Flávio Dino, estamos conseguindo realiza-la em dois meses de gestão. Me comprometo a usar toda a minha sensibilidade, experiência, força e vontade e forma de gerir para enaltecer todas as nossas manifestação culturais”, destacou o secretário de Estado de Cultura, Felipe Camarão.



Além dos espetáculos teatrais, a programação da IX Semana Maranhense de Dança conta com a realização de 15 oficinas Ballet Clássico 1 (Iniciante) Ballet Clássico 2 (Intermediário/Avançado), Corpo Brincante – Instrumento de Criação 3 (Intermediário), Dança de Rua 1 (Iniciante), oficina Afro e Jazz 1 (Iniciante).



A programação da semana conta com espetáculos e artistas de fora do Maranhão, mas a grande maioria é de maranhenses. “Com essa semana, estamos há nove anos provando que santo de casa faz sim milagre. Basta ver a qualidade artística e técnica de todos aqui presentes”, destacou o bailarino, coreógrafo e professor Abelardo Teles.



Após a abertura oficial, o palco do Arthur Azevedo foi tomado pelo espetáculo Aqui é o Salão!, realizado pelas companhias Escola de Dança Corpo e Alma e, da Cia Encantar, com direção geral e concepção de Idelfonso Loyola e direção artística de Mano Braga.



O espetáculo levou para o palco a leveza do Fox Trot, a elegância do Tango, a sensualidade o ChaCha, a alegria do Rock anos 60, o molejo do Samba de Gafieira, o calor da Salsa, são alguns componentes deste momento de intensa satisfação, onde o maior deles é, sem dúvida, a emoção em apreciar e viver esta experiência na Dança de Salão, assim conhecendo-a por diferentes perspectivas.



Homenagem a Myriam Marques


A grande homenageada da noite foi a professora Myriam Marques. “É muito emocionante ver essa plateia lotada e identificar alguns rostos conhecidos que conviveram comigo ao longo desses 30 anos dedicados à dança. A minha grande expectativa é que a semana seja mantida e que continue a encantar todas as pessoas”, destacou a homenageada, que recebeu das mãos do secretário Felipe Camarão um troféu em forma de bailarina.



Nascida em São Luís, iniciou sua formação de ballet no extinto Clube das Mães com Sylvia Parga e Regina Maura Sá. No Rio de Janeiro estudou dança sob orientação de Tatiana Leskowa, Aldo Lotulfo, Jane Blauth, Luís Ewerton, Emílio Martins, Cemi Jambert, Nora Esteves só para citar alguns.

Seu trabalho contínuo e estudo constante desenham sua trajetória. Após se graduar em Economia (UFRJ), já em S. Luís fundou o Espaço Dança em 1985, no qual atuou como bailarina e atualmente, é professora, coreógrafa e diretora artística, com mais de 40 montagens diferentes, em sua maioria autoral. Antes, ministrou cursos na Fundação Cultural do Maranhão, Grupo Chama, Academia Reinaldo Faray, Studio Prodança e AMDA.

Desde suas primeiras criações a dança moderna e contemporânea tiveram lugar cativo. Aliou criatividade às práticas de Ângela Nolf, Anselmo Zolla, Claudia Damásio, Ivaldo Mendonça, Mário Moraes, Claudia de Souza, Ana Vitória, Marcelo Pereira, entre outros.

Representa o Conselho Brasileiro de Dança (CBDD/UNESCO) no Maranhão desde 2004. Ao longo de três décadas contínuas Myriam Marques faz do Espaço um lugar plural da Dança, no qual estudam, contribuem e seguem seu próprio caminho gerações de artistas maranhenses, tanto de alunos quanto de professores, através dos cursos com Ayrton Tenório(RJ), Dudu de Herrmann (MG) Flávio Sampaio(CE), Gerardo Chávez (Costa Rica), Giselda Fernandes (RJ) Lauri Macklin (USA), Marika Gidali (SP) Nana Shineflug (USA) e Virginie Souquet (França).

Myriam Marques ao longo desses 30 anos de dedicação ao ensino da dança, incentiva a participação de alunos em seleções e apresentações de reconhecidos festivais como a Semana Maranhense de Dança em suas variadas edições, como professora, coreógrafa e diretora, mantendo o importante papel de conduzir os bailarinos a atmosfera de paixão pela dança.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.