sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Governo deflagra Operação Transporte Seguro e intensifica policiamento no embarque de passageiros



O Governo do Maranhão deflagrou, na última semana, a Operação Transporte Seguro, que amplia a segurança e o policiamento ostensivo em terminais e paradas de ônibus da região metropolitana de São Luís. A operação, conduzida pelo Comando Geral da Polícia Militar, abrange os principais pontos cruzados em mapeamentos feitos pelo Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário e pela Unidade de Estatística e Análise Criminal da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA).



Alvos recorrentes dos registros de assaltos, os terminais de integração foram os primeiros a contar com o reforço de guarnições, que diuturnamente realizam o trabalho de abordagem. O terminal da Praia Grande, no Centro Histórico de São Luís, é um dos locais apontados pelas estatísticas como um dos principais pontos de embarque de suspeitos. Outros terminais de integração – na Cohab, Cohama e São Cristóvão - também tiveram a rotina de segurança alterada, com a inserção de maior contingente de policiais nas abordagens.



Segundo o comandante geral da Polícia Militar do Maranhão, Coronel Marco Antônio Alves, a rotina da abordagem contempla, ainda, vias de grande fluxo da capital e que foram classificadas como as de maior incidência de assaltos a ônibus no perímetro urbano de São Luís. As avenidas Daniel de La Touche, Getúlio Vargas, Marechal Castelo Branco e Cajazeiras estão sendo monitoradas com reforço de efetivo diariamente, quer em viaturas, motocicletas ou a pé.



“Temos várias frentes sendo realizadas durante todo o dia, com maior intensidade à tarde e à noite. Aos finais de semana, temos intensificado as abordagens, principalmente à noite, quando o volume de pessoas que sai para festas é maior”, comenta o comandante. Durante os finais de semana, cadetes do Curso de Formação de Oficiais (CFO) e alunos do Curso de Formação de Soldados em fase de estágio operacional, acompanhados de oficiais, participam das incursões, expandindo as ramificações da operação. Até o final do ano, mais de 700 novos soldados reforçarão os quadros da Polícia Militar do Maranhão, a partir do ingresso dos alunos que estão em fase de conclusão do curso de formação.



Além da identificação de suspeitos e de ampliar a proximidade da polícia com a população, a operação amplia o campo de abordagem e desenvolve uma pesquisa, com a intenção de refinar ainda mais o georreferenciamento dos assaltos, a partir da coleta de depoimentos e impressões de motoristas e passageiros.



De acordo com o Coronel Alves, o levantamento que culminou na operação de abordagem diária traça ainda uma dinâmica repetida pelas quadrilhas de assaltantes. Para a prática do crime, geralmente, elas procuram ônibus esvaziados e com público prioritariamente feminino.



O Major Renato Campos, que coordena a operação na área Centro, relatou que apenas na última quarta-feira (5), mais de 600 pessoas foram abordadas no bairro e detalhou os procedimentos e estratégias aplicados durante o trabalho. “Além da abordagem nas paradas, fizemos abordagens embarcadas para não atrapalhar a rotina dos passageiros. Temos recebido o retorno positivo, de muita satisfação das pessoas, nessa aproximação grande com a população”, comentou.



O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Isaías Castelo Branco, reconhece o esforço do Governo do Estado em desenvolver atividades e mecanismos que cerceiem os assaltos em transporte público. “Temos tido reuniões com o secretário de Segurança Pública e com os delegados, fornecemos também acesso ao monitoramento das empresas para colaborar com a montagem das linhas de investigação. Estamos vendo as blitzen, a polícia nas ruas e entendemos que essa ação vai, sim, surtir efeito. Ainda há um índice alto de assaltos, mas acreditamos na ação integrada entre a Polícia Militar, Civil, SMTT e Guarda Municipal”, afirmou Isaías.



Segurança nas escolas



O Governo do Estado também intensificou as ações de segurança nas escolas, a partir da mobilização conjunta de várias instâncias – estaduais, municipais e Ministério Público. Além de reuniões periódicas com a comunidade escolar, Polícias Militar e Civil ampliaram as rondas no entorno dos prédios escolares e reforçaram o monitoramento nas áreas de maior registro de ocorrências. Todos os casos registrados em outubro, por exemplo, foram adequadamente identificados e já estão com responsáveis presos ou respondendo a inquéritos.



Agentes da Polícia Militar também participaram de capacitações promovidas pela Promotoria Especializada em Educação a fim de desenvolverem ainda mais habilidades na identificação da correspondência entre o comportamento do jovem com a estrutura familiar e aspectos relacionados ao trato específico com o público infanto-juvenil.


--

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.