quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Cia Cambalhotas realiza espetáculo “Zzz Sganarelle” a partir deste sábado (22)

A partir deste sábado (22), São Luís receberá a visita de Sganarelle. Personagem criado por Molière há cerca de 500 anos na França, Sganarelle é um palhaço que se utiliza da comédia para satirizar problemas sociais. Agora, o personagem ganha vida devido ao projeto da Companhia Cambalhotas, que foi contemplado pelo Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo 2015 e conta com o apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e do Ministério da Cultura. Com a premiação inédita da companhia maranhense, foi possível criar o espetáculo “Zzz Sganarelle”, escrito por Geraldine Gauthier e dirigido por Waldemir Nascimento. E a primeira apresentação será no bairro do Anjo da Guarda, às 16h30.

Durante os próximos cinco meses, a Companhia Cambalhotas vai levar seu espetáculo para diversos bairros de São Luís. Escolas e praças públicas serão alguns dos locais que receberão a visita de Sganarelle e sua turma em apresentações que agregam humor às dificuldades vividas no cotidiano das pessoas. Talvez, por isso, Sganarelle seja considerado um “retrato do povo”.

“O Sganarelle é um palhaço, é o resquício que vem da França. Ele está dentro desse universo dos comediantes, dos sátiros. Ele conserva isso. Então, vamos colocá-lo na rua. Além de ser um palhaço e de trabalhar isso muito corporalmente, ele é o povo. Ele é um espetáculo que não tem um apelo infantil. Claro que o público infanto-juvenil pode assistir, mas ele é um espetáculo adulto porque ele tem crítica social bem forte e o Sganarelle se identifica com a população, ele é a população. Ele é a voz do povo e também carrega dentro dele várias simbologias. Por isso que o público vai se identificar com ele”, explicou Waldemir Nascimento, diretor do espetáculo.

O espetáculo “Zzz Sganarelle” será a terceira produção da Companhia Cambalhotas que, em 2016, completa 19 anos de fundação. Nas produções anteriores (“Os Saltimbancos” e “Os Três Porquinhos”), a companhia sempre utilizou formas animadas – bonecos, máscaras, teatro de sombra – para encantar o público. No entanto, em “Zzz Sganarelle”, mais um elemento é agregado: o circo.

“Temos o espetáculo de rua na nossa veia desde a nossa fundação. Em ‘Zzz Sganarelle’, a gente consegue manter esta linha e acrescenta uma coisa a mais: o circo, a rua, a animação, a comédia”, revelou Waldemir.

Detalhes

O personagem principal do espetáculo será interpretado pelo ator Edson Lima. Para vivenciar Sganerelle, Edson precisou de muita preparação, inclusive, chegou a passar fome. “O Sganarelle tem uma relação com a fome, ele sente fome. Então, tudo o que ele vê, ele quer comer. E aí eu passei um dia com fome. Jantei mal à noite, não tomei café e nem almocei no dia seguinte. Aí vim para o laboratório para ser filmado e só fui comer às 17h para eu sentir, de fato, o que é sentir fome e tentar transferir todo este sentimento para o personagem. Nosso laboratório teve muito disso, tanto comigo quanto com os outros personagens”, afirmou o ator.


Ao todo, o espetáculo contará com cinco atores que se desdobram para interpretar sete personagens. Além da expectativa pela troca de figurino em cena, “Zzz Sganarelle” promete atrair os olhares do público no quesito dos detalhes. Cada roupa, cada elemento contido no espetáculo e até os trejeitos dos personagens foram minuciosamente pensados, estudados e analisados.

“No teatro de rua, a gente trabalha muito com o colorido que tem no brasileiro, no nordestino. O colorido do nordestino vai estabelecer a estética do nosso espetáculo. Fizemos pesquisas, fomos a vários pontos de São Luís, como mercados, a Feira das Túlias e museus, para identificar a cultura maranhense e o colorido dela para colocar em um personagem que é de 1500. Mas a nossa peça é atemporal. O público vai ter esse visual”, revelou Waldemir Nascimento.

Dentre o lado detalhista de “Zzz Sganarelle” está a produção das máscaras, que foram feitas sob medida para cada ator. O responsável pela inovação foi Wanderson Silva. “Eu sempre busco referências do cinema e, o que eu vejo de produção, é que estão sempre buscando novas tecnologias para bonecos e máscaras. Eu não queria fazer como todo mundo faz e decidi fazer algo mais profissional. Resolvi fazer uma máscara que encaixasse perfeitamente no rosto do ator”, disse.

O processo de fabricação de cada máscara durou cerca de duas semanas e contou com várias etapas. A primeira delas foi usar um material chamado de alginato para moldar o rosto do ator. Em seguida, foi preciso reproduzir o rosto em gesso para aí poder utilizar argila para modelar. “Tirei um molde negativo e joguei a fibra de vidro. Depois fazemos o acabamento e o lixamento, que se joga uma massa plástica chamada prime e depois entra para pintura com a Flávia Félix”, comentou.

Prêmio inédito

Pela primeira vez, a Companhia Cambalhotas foi agraciada com uma premiação nacional. O Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo 2015 veio em um ótimo momento. Tanto que o apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e do Ministério da Cultura aceleraram a produção do espetáculo “Sganarelle”.

“Pra gente já foi uma vitória ter conquistado um prêmio. A gente queria muito montar este espetáculo por conta do texto, mas, devido às condições financeiras, a gente não iria montar Sganarelle agora”, explicou Bianka Marques, produtora do espetáculo.

Bianka explica que o objetivo da Companhia Cambalhotas é de sempre levar um espetáculo de qualidade para a população. “A companhia quando pensa em inscrever projetos, a gente pensa não só no financeiro, mas sim na realização da companhia em querer levar algo de qualidade para a população que, de um modo geral, precisa ter acesso a espetáculos de qualidade. Levar o espetáculo para escolas, para as praças é pensar que mais pessoas vão conhecer o trabalho da companhia, vão poder assistir espetáculos de teatro e vão poder se desenvolver”, concluiu.

Saiba mais

O espetáculo “Zzz Sganarelle” é um projeto da Companhia Cambalhotas que foi contemplado pelo Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo 2015 e conta com o apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e do Ministério da Cultura. Ao todo, o espetáculo contará com mais de 15 apresentações durante os próximos cinco meses. “Zzz Sganarelle” será encenado em vários bairros, escolas e praças de São Luís. A primeira apresentação será no próximo dia 22 de outubro, no Anjo da Guarda.

PROGRAMAÇÃO DE ESPETÁCULOS
OUTUBRO 2016
Dias 22 e 29 – Cia Cambalhotas (Anjo da Guarda) / 16h30
NOVEMBRO 2016
Dia 5 – Cia Cambalhotas (Anjo da Guarda) / 16h30
Dias 8, 9, 10 e 11 – C.E. Mário Meireles, C.E. Lúcia Chaves, C.E. Antônio Ribeiro da Silva e C.E. Vicente Maia
Dia 11 – Praça Nauro Machado / 19h
Dia 18 – Praça Deodoro / 17h30

DEZEMBRO 2016
Dia 2 – Praça Deodoro / 17h30
Dia 8 – Largo do Teatro (Anjo da Guarda) / 16h30
Dia 9 – Praça Nauro Machado / 19h

JANEIRO 2017
Dia 13 – Praça Deodoro / 17h30
Dia 20 – Praça Nauro Machado / 19h
Dia 21 – Cia Cambalhotas (Anjo da Guarda) / 16h30

FEVEREIRO 2017
Dia 4 – Largo do Teatro (Anjo da Guarda) / 16h30
Dias 11 e 18 – Cia Cambalhotas (Anjo da Guarda) / 16h30


Ficha Técnica
Duração: aproximadamente 60 minutos
Classificação: Livre
Gênero: Circo; Teatro de Rua
Texto: Géraldine Gauthier
Músicas: Domínio público

Direção e Produção Executiva
Direção: Waldemir Nascimento
Produção Executiva: Bianka Marques
Assistente de Produção: Adalberto Costa

Elenco
Sganarelle: Edson Lima
Dom José (voz): Adalberto Costa
Marina Mary Martins e Madame Gordão: Marlucie Emily
Suzete (boneca): Andressa Kelly
Funcionário e Gordão: Jefferson Gama
Sans feu ni lieu: Anderson Pytuyba

Produção Artística
Concepção: Waldemir Nascimento
Cenografia e Adereços: Wanderson Silva
Assistente de Cenografia e Adereços: Flávia Félix Rodrigues
Cenotécnico: Gerson Fontenelle
Figurino: Laísa Couto
Costura: Waldirene Brito e Joana Clímaco
Ilustração de Sganarelle: Waldeir Brito


Produção Técnica

Sonoplastia: Walber Bonfim
Designer: Leanjoelson Andrade
Fotografia e filmagem: Rubem Jayron
Comunicação: Aidê Rocha e Paulo de Tarso Jr.
Estagiária de Produção: Lua Reis
Colaboradores: Márcia de Aquino, Wallas Santos e Weyder-Joe Freire


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.