quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Ministério Público solicita internação de menor suspeito de estupro e roubo O menor nega ter cometido o estupro, mas assumiu o roubo

O adolescente de 15 anos, suspeito de ter estuprado a capitã do Corpo de Bombeiros e assaltado a casa da mesma, no último dia dez, será submetido ao período máximo de internação, de 3 anos, estabelecido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
O Ministério Público fez a solicitação nesta quarta-feira ao Poder Judiciário, e está prevista para ser realizada ainda esta semana a audiência de custódia, que será presidida pelo juiz da 2ª Vara de Infância e Juventude, José dos Santos Costa.
Na manhã desta quarta, o menor prestou esclarecimento sobre o fato para a promotora da Infância e Juventude, Araceles Ribeiro, no Centro Integrado de Justiça Juvenil. A promotora informou que o adolescente é do estado de Roraima e que foi ouvido acompanhado dos pais e dos advogados.
Ele negou a prática de estupro, mas afirmou ter cometido o roubo na casa da oficial. Ele confessou ter deixado a capitã e o seu filho amarrados. A promotora frisou que o ECA dispõe de várias medidas socioeducativas a menores infratores. A remissão é a mais branda, sendo empregada a pequenos delitos. Ainda tem a advertência, a prestação de serviço, a liberdade assistida e a internação como a mais severa. O menor deve participar ainda esta semana da audiência de custódia, na 2ª Vara da Infância e Juventude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.