terça-feira, 16 de maio de 2017

Operações da polícia maranhense tiram mais de R$ 4 milhões do tráfico em 2017

O prejuízo para o tráfico no Maranhão chegou a R$ 4.481.236,00 nos quatro primeiros meses de 2017, a partir da apreensão de 2.300 quilos de drogas, sendo cerca de 90% de maconha. Os números são resultado de operações da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSPMA), por meio da Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc).


De acordo com a Senarc, a apreensão de drogas aumentou 137% neste ano, em comparação ao mesmo período de 2016, quando a polícia retirou das ruas 970 quilos de entorpecentes. Se comparado aos quatro primeiros meses de 2015, o crescimento é de 475%.


O trabalho da polícia continuou tendo resultado neste mês de maio. Somente a Operação Turim 2, deflagrada entre os dias 1 a 8 deste mês, eliminou 170 mil pés de maconha de 13 grandes roças em Centro Novo, Centro do Guilherme, Maracaçumé, Zé Doca e municípios vizinhos. De acordo com o superintendente da Senarc, delegado Carlos Alessandro, a ação impediu a circulação de cerca de 30 toneladas da droga no Maranhão e no Pará.


“Mais de 30 policiais participaram da ação, considerada a maior operação de erradicação de pés de maconha feita pela polícia no interior do estado nos últimos dez anos”, afirma Carlos Alessandro. Na primeira fase da Operação Turim, realizada em setembro de 2016 na mesma região, foram eliminados 130 mil pés de maconha.




A Operação Turim 2 também resultou na prisão de José de Ribamar da Silva Ribeiro, o Zé Riba, identificado pela polícia como um dos principais produtores de maconha da localidade, além da apreensão de aproximadamente R$ 12 mil em dinheiro. Senarc, Centro Tático Aéreo e Polícia Militar executaram a operação.


Centro Histórico mais seguro


Outra ação policial recente de combate ao tráfico foi a Operação ‘Reviver Sem Drogas’, deflagrada em 26 de abril, por meio da qual foram apreendidos cinco quilos de maconha prensada, 200 gramas de cocaína, uma balança de precisão e mais R$ R$ 2.364,00 em dinheiro.


Por meio da operação, a polícia também prendeu Israel Leite Santos, conhecido como “Fufuxa”. “Fizemos um mapeamento dos principais pontos de venda de drogas no Reviver e conseguimos identificar o Fufuxa, considerado o principal fornecedor de drogas do Centro Histórico”, explica Alessandro.


Criado pelo Fórum Estadual de Políticas Públicas sobre Drogas, que reúne as secretarias estaduais de Saúde (SES), Articulação de Políticas Públicas (SEEAPP), Educação (Seduc), Segurança Pública (SSP) e Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), o ‘Reviver Sem Drogas’ levou mais segurança para o ponto turístico.


“Esta operação faz parte das ações do Governo do Estado para revitalizar o Centro Histórico de São Luís, levando mais segurança para moradores e turistas”, afirma Alessandro. Como resultado das operações de combate ao tráfico, serão incineradas três toneladas de drogas no final de maio, a maior já feita pela polícia no Maranhão.


Prisões e apreensões de armas


De acordo com a Senarc, a apreensão de drogas aumentou 137% neste ano, em comparação ao mesmo período de 2016. (Foto: Divulgação)

Além das apreensões de drogas, as prisões relacionadas ao tráfico também avançaram. Nos quatro primeiros meses de 2017, foram 64 prisões em flagrante e cumprimento de mandados de prisões preventivas.


Em comparação ao mesmo período de 2016, quando foram realizadas 31 prisões, o aumento é de mais de 100%. Em equiparação a 2015, quando foram realizadas apenas cinco prisões relacionadas ao tráfico de drogas, o crescimento é ainda mais expressivo.


A polícia maranhense também aumentou em 100% o número de apreensões de armas de fogo no primeiro trimestre de 2017, considerando o mesmo período do ano passado. Segundo a Senarc, só nos três primeiros meses deste ano foram apreendidas 24 armas de fogo em ações de repressão ao tráfico de drogas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será avaliado e liberado posteriormente.

Obrigado pela sua participação.